11 de julho de 2020

RELÍQUIAS DA DUBLAGEM (12): "HORAS DE DESESPERO"



Quando os irmãos Griffin, Hal e Glenn, e seu cúmplice Sam Kobish, escapam de uma prisão do Estado, eles se dirigem a um bairro tranquilo onde possam se esconder por um ou dois dias. Eles planejam ter uma família como refém, de preferência com crianças, uma vez que assim os pais são propensos a cooperar. Dirigindo um carro roubado, eles procuram por uma casa. Enquanto isso, a polícia emite um boletim alertando a população de que se trata de criminosos armados e perigosos.

Numa casa do bairro para onde eles se dirigem, Dan e Ellie Hilliard, juntamente com seus filhos, Cindy e Ralphie, estão acabando de tomar o café da manhã. Cindy tem dezenove anos e seu maior desejo é se casar, mas seu pai não simpatiza com seu namorado, Chuck Wright. Terminado o café, Ralphie sai para a escola, enquanto Cindy vai para o trabalho com seu pai, ocasião em que este lhe expõe o que pensa a respeito de Chuck.

 Ao ficar sozinha em casa, Ellie aproveita o tempo para fazer uma faxina enquanto ouve as notícias do dia em seu rádio portátil. Num determinado momento, é noticiada a fuga dos três criminosos, sem que ela imagine que eles, naquele momento, encontram-se em sua rua.




Minutos depois, quando a campainha toca, Ellie vai atender e se depara com Glenn Griffin, um dos criminosos, que lhe pede algumas informações. Enquanto ela tenta ajudá-lo, Kobish entra na casa pela porta da cozinha e, ao vê-lo, ela fica aterrorizada e dá o melhor de si para responder às perguntas que lhe são feitas. Por outro lado, Hal retira o carro de Ellie da garage, substituindo-o pelo velho que eles roubaram. Em seguida, Glenn força Ellie a lhe dizer onde se encontram seus objetos de valor.



Horas depois, quando Dan e Cindy retornam pra casa, eles notam o carro roubado em sua garagem. Intrigados, eles entram em casa e são, imediatamente, feitos prisioneiros. Diante da situação, ele promete entregar todo o dinheiro de que dispõe, caso eles se retirem imediatamente de sua casa.


 Na ocasião, Glenn ri em sua cara dizendo-lhe que ele não tem o suficiente para tentá-lo. Em seguida, o criminoso estabelece que a vida da família deve manter as aparências de normalidade, para que não venha a levantar suspeitas.
 Assim, a jovem Cindy deve continuar a se encontrar com o namorado, enquanto Dan vai trabalhar normalmente em seu escritório.






Enquanto isso, Glenn faz uma ligação telefônica para sua namorada, orientando-a a trazer-lhe uma determinada importância em dinheiro, a fim de financiar sua fuga. No entanto, como ela está impedida de dirigir, face à uma infração de trânsito, ele a orienta a enviar o dinheiro para o escritório de Dan.


 No dia seguinte, ao chegar ao trabalho, Dan orienta sua secretária a procurá-lo tão logo uma encomenda, que deverá ser entregue pelo correio, chegue ao escritório. Dessa forma, ao tomar conhecimento que a mesma não foi entregue, ele corre até o seu Banco, onde retira todo o seu dinheiro. Em seguida, escreve uma carta anônima para a polícia, informando que os criminosos se escondem em uma casa particular, e paga a um mensageiro para entregá-la.



Embora Dan pretenda dar o dinheiro para garantir a segurança de sua família, o Xerife Masters, que acaba de chegar ao local, ordena que a casa seja invadida. No entanto, com a concordância do Xerife Jesse Bard, o Agente Carson do FBI entrega uma arma a Dan, que retira suas balas. Ao entrar em casa, ele faz com que Glenn a encontre. Logo em seguida, de arma em punho, o criminoso vai ao andar superior decidido a levar Ellie e Ralphie em sua fuga.


Enquanto isso, depois de assustar Kobish, Dan bate a porta em sua mão, pega sua arma e o empurra para fora, onde ele é baleado por atiradores da polícia. Em seguida, ele instrui Ellie a correr e confronta Glenn, que aponta uma arma para Ralphie. Quando, por insistência de Dan, o filho corre para seus braços, Glenn dispara sua arma, mas descobre, tarde demais, que a mesma não se acha carregada. Desesperado, ele tenta enganar a polícia, mas é morto a tiros com uma rajada de balas.



Realizado pelo cineasta William Wyler, a partir de um roteiro escrito por Joseph Hayes, “Horas de Desespero” é um ótimo filme ‘noir’ produzido pela Paramount Pictures em 1955. Sua trama é marcada por um alto nível de suspense, principalmente nos quarenta minutos finais.  

Na direção, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, Wyler nos brinda com mais um belo trabalho, no que é ajudado pela ótima fotografia em preto e branco assinada por Lee Garmes. No elenco, Humphrey Bogart e Fredric March brilham nos papeis principais, seguidos pelas ótimas atuações apresentadas por Martha Scott e Arthur Kennedy.


**A DUBLAGEM DE HORAS DE DESESPERO**

Na realidade, o filme teve a sua primeira dublagem no estúdio CineCastro na década de 1960. Entretanto, com o transcorrer dos anos desapareceu completamente.
Por volta de 1984/85, houve uma redublagem realizada pelo extinto estúdio Telecine, o qual redublou diversos clássicos do Cinema, os quais tiveram problemas com suas dublagens originais.

O estúdio Telecine primava por uma dublagem excelente na escalação dos profissionais, o que deixava a redublagem como um produto de excepcional qualidade, não perdendo a essência da interpretação nos diálogos e dubladores extremamente experientes que ainda estavam em plena atividade.


ELENCO DE DUBLAGEM

Humphrey Bogart (Glenn Griffin): Sílvio Navas

Fredric March (Dan C. Hillard): Ênio Santos

Arthur Kennedy (Jesses Bard): 

Joaquim Luís Motta

Martha Scott (Ellie Hilliard): Nelly Amaral

Dewey Martin (Hal Griffin): Dário de Castro

Gig Young (Chuck Wright): Orlando Prado

Mary Murphy (Cindy Hilliard): 

Adalmária Mesquita

Robert Middleton (Sam Kobish): Pietro Mário

Bert Freed (Tom Winston): Amaury Costa

Ray Collins (Xerife Masters): 

André Luiz Chapéu

Whit Bissell (Carson, Agente do FBI): Alfredo Martins

Ray Teal (Tenente Fredericks): 

José Santana

Locutor: Leonel Abrantes

Outras Vozes:
Ayrton Cardoso, Leonel Abrantes, Myriam Thereza, Neyda Rodrigues, Ribeiro Santos.



**SÍLVIO NAVAS**


**ÊNIO SANTOS**












**NELLY AMARAL*




















Embora a dublagem em seu conjunto seja excelente, os três personagens principais se destacam pelas interpretações de seus 
dubladores.

Sílvio Navas, que já dublou o ator Humprey Bogart em outros filmes, possui um desempenho brilhante com este personagem: um assaltante repleto de problemas emocionais e complexos. Há momentos em que é um bandido terrível, mas também deixa transparecer a amargura com a vida que tem, captando com a voz o conflito interior do personagem. Mais uma excepcional dublagem deixada pelo grande ator/dublador Sílvio Navas.


Os donos da casa invadida, são exemplarmente dublados por Nelly Amaral e Ênio Santos. Dois grandes nomes da arte dramática e da dublagem. 
Há uma enorme precisão no nível de dramaticidade que os personagens desempenham, não os deixando, em momento algum, com falas histéricas ou frases com tons altos desnecessários, mas ao mesmo tempo, eles nos passam a tensão que vivem os personagens.

Na realidade, a dublagem é concentrada basicamente nesses três dubladores, os quais nos proporcionam uma categoria de qualidade fantástica.
Embora sendo uma redublagem, é preciosamente bem realizada e dirigida.

**VAMOS REVER A REDUBLAGEM DE HORAS DE DESESPERO**



**PARTE 1**

**PARTE 2**
**PARTE 3**



**FONTE DE PESQUISA: 
Site Tela de Cinema**
 Site 75 anos de Cinema**
 Arquivo Pessoal**



 **Marco Antônio dos Santos**