14 de janeiro de 2017

RELÍQUIAS DA DUBLAGEM (10): NÓS E O FANTASMA



Nós e o Fantasma era uma série de TV com um toque sutil de romantismo, história de fantasma e um bom toque de humor, centrado numa jovem escritora de uma revista, chamada Carolyn Muir, que após ficar viúva, sente a necessidade de reconstruir novamente sua vida e se muda com seus dois filhos, seu cãozinho e sua empregada Martha, para um chalé no litoral de Schooner Bay, conhecida como o Chalé das Gaivotas.


Lá chegando Carolyn vai percebendo que coisas estranhas começam a acontecer naquela casa, logo descobre que a casa é considerada “mal assombrada”, pois a propriedade pertencia a um antigo marinheiro do século XIX, chamado Capitão Daniel Gregg, que gostava muito de sua casa e não aceitava em hipótese alguma que alguém entrasse lá, mesmo depois de morto.


Mas com o passar do tempo o Capitão começa a aceitar a presença da viúva e inicia assim um processo de grande amizade, onde os dois acabam sentindo uma profunda atração um pelo outro. Desta forma, o Capitão passa a proteger toda a família, principalmente de um suposto sobrinho do capitão, um sujeito chamado Claymore, que tenta a todo custo se apoderar da casa.


A série é na realidade uma versão para a televisão de um longa-metragem, de mesmo nome, de 1947, conhecido no Brasil como “O Fantasma Apaixonado”, que teve as interpretações, entre outros de Rex Harrison, Gene Tierney, George Sanders, Edna Best, Natalie Wood, baseada numa novela escrita em 1945, por Josephine Leslie, sob o pseudônimo de R. A. Dick. 


O filme foi produzido pela 20th Century Fox Film Corporation, dirigido por Joseph L. Mankiewicx, com roteiros de Philip Dunne e que recebeu uma indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Fotografia – Preto e Branco, daquele ano.


A série televisiva foi apresentada originariamente nos Estados Unidos, pela rede NBC, entre 21 de setembro de 1968 a 29 de março de 1969, num total de 26 episódios, que constituíam a primeira temporada. A partir de 18 de setembro de 1969, a segunda temporada passou a ser exibida pela rede ABC, até 13 de março de 1970, com mais 24 episódios, da segunda e última temporada.
  


 No Brasil, foi ao ar com o nome de “Nós e o Fantasma”, num total de 50 episódios.


Nós e o Fantasma estreou na TV Cultura de São Paulo em Setembro de 1970, onde ficou até 1971.

Nesse ano, migrou para a TV Record, onde ficou em exibição até 1972.


Com o advento da Tv a cores, em 1972, a série voltou a ser exibida pela TV Cultura de São Paulo em 1975/76.

Em 1977/78, voltou a ser exibida pela TV Record.


Nós e o Fantasma só retornaria pela extinta TV Guaíba de Porto Alegre, por volta de 1987/88, quando alguns episódios foram gravados por videocassetes.



Uma série que jamais a TV a cabo exibiu, que traz muito humor e romantismo, mas, infelizmente, há a preferência para uma programação mais violenta.





**A DUBLAGEM DE NÓS E O FANTASMA**

Dublada pelo estúdio CineCastro, "Nós e o Fantasma" obteve uma 
dublagem de extrema qualidade.




Sem dúvida, Isaac Bardavid e Glória Ladany nos proporcionam uma agradável e muito bem interpretada atuação para os atores principais.
A extraordinária capacidade de ambos, dublando os personagens principais, elevam a qualidade em assistir e, principalmente, ouvir uma dublagem extremamente bem realizada nos inúmeros diálogos que tiveram: com humor, brigas, ironia e até um certo romantismo.

Para os apreciadores das excelentes dublagens, observa-se, claramente, como uma dublagem bem realizada sequer nos remete a como seriam as vozes originais.

Aos dois junta-se a capacidade de Ênio Santos ao dublar o atrapalhado Claymour, trazendo com a sua incrível interpretação com a voz, os nossos risos.

Além de Lúcia Delor, Carmen Sheila e Ângela Bonatti para completar a escalação acertada para a dublagem da série.    

**ATORES / PERSONAGENS / DUBLADORES**           


**Edward Mulhare como Capitão Daniel Gregg dublado por Isaac Bardavid**











**Hope Lange como Carolyn Muir dublada por Glória Ladany**


















 **Charles Nelson Reilly como Claymore Gregg  dublado por Ênio Santos**




**Reta Shaw como Martha Grant dublada por Lúcia Delor**



**Harlen Carraher como Jonathan Muir dublado por Carmen Sheila**
**Kellie Flanagan como Candy Muir dublada por Ângela Bonatti**

















**VAMOS REVER O PRIMEIRO EPISÓDIO DA SÉRIE**




**Uma série esquecida pela programação da nossa tv, inclusive tv a cabo. Segundo a Fox, a dublagem ainda existe, mas ainda necessitaria ser remasterizada para digital, caso houvesse interesse de alguma emissora de a exibir.

A dublagem ainda gravada de forma magnética se desgasta com o passar do tempo e corre riscos de perda parcial ou até total.




**O FILME "O FANTASMA APAIXONADO"**


**Cartaz do filme "O Fantasma Apaixonado"**

No início do século XX, a jovem viúva Lucy Muir muda-se para a aldeia de Whitecliff, no litoral inglês, apesar das desaprovações de sua sogra e de sua cunhada.



 Apesar de sua reputação de mal assombrada, ela se apaixona e aluga uma casa de campo, Gull Cottage, onde passa a residir com sua filha Anna e sua empregada Martha.



Na primeira noite, ela é visitada pelo fantasma do ex-proprietário, um capitão de mar malandro, mas inofensivo, chamado Daniel Gregg, que relutantemente permite que ela more na sua antiga casa. No entanto, pouco tempo depois, os sogros de Lucy chegam com a notícia de que os investimentos dela se esgotaram e insistem para que ela volte para Londres com eles.

Depois de uma expulsão fantasmagórica dos sogros de Lucy, o Capitão Gregg surge com uma ideia para salvar a casa: ele irá ditar suas memórias para que ela as publique, de modo que seja beneficiária dos royalties que advirão. Durante o curso da preparação do livro, os dois se apaixonam, mas ele reconhece que ela deveria procurar um novo marido de carne e osso.

Ao visitar a editora em Londres, Lucy sente-se atraída por Miles Fairley, um escritor de histórias infantis, cujo pseudônimo é “Tio Neddy”, que a ajuda a obter uma entrevista. Tudo corre bem, o livro é publicado e se torna um best-seller, permitindo à Lucy comprar a casa. Fairley a segue até Whitecliff e começa a cortejá-la. O Capitão, inicialmente, sente ciúmes, mas decide deixar de ser um obstáculo para a felicidade de Lucy. Enquanto ela dorme, ele coloca em sua mente a sugestão de que só ela escreveu o livro e que ele era apenas um sonho.




Pouco tempo depois, ao fazer uma visita à editora, em Londres, Lucy decide fazer uma visita surpresa à casa de Fairley. Lá, descobre para seu horror, que não só ele já é casado e tem dois filhos, mas que esse tipo de comportamento ele já tinha aprontado com outras mulheres. De coração partido, ela retorna para Whitecliff.

Cerca de dez anos mais tarde, Anna retorna para casa com seu noivo, um tenente da marinha. Ao conversar com a mãe, ela revela que sabia sobre o relacionamento dela com o fantasma do Capitão Gregg, bem como, sobre seu envolvimento com o escritor Miles Fairley.

Ao lado de Martha, Lucy vive uma vida pacífica em sua casa de campo. Finalmente, durante uma noite de nevoeiro, quando ela cochila sentada em sua cadeira, ao lado de uma lareira, o Capitão Gregg aparece no momento de sua morte. Os dois espíritos saem de mãos dadas e desaparecem no nevoeiro.




Realizado pelo cineasta Joseph L. Mankiewicz, a partir de um roteiro muito bem estruturado de Philip Dunne, “O Fantasma Apaixonado” é um excelente filme do cinema americano. Sua trama começa como uma simples comédia e se transforma numa sutil reflexão sobre o tempo que passa, as desilusões e, sobretudo, o amor.

Partindo de um roteiro extremamente inteligente, Mankiewicz realiza um dos melhores filmes de sua carreira. No elenco, Gene Tierney, Rex Harrison e George Sanders nos brindam com excelentes atuações. Natalie Wood, aos 9 anos de idade, se sai muito bem no papel da filha Anna.

Enfim, embora não se trate de um filme premiado, “O Fantasma Apaixonado” é um grande filme, original, inteligente e fascinante.




O filme inspirou totalmente a criação da série Nós e o Fantasma,com algumas pequenas alterações, mais adequadas para as séries de TV americanas produzidas no final da década de 1960.





**A DUBLAGEM DO FILME**

O estúdio de dublagem deste filme não é mencionado, mas através de informações obtidas no grupo "História da Dublagem", obtivemos a identificação de que este trabalho foi realizado pelo estúdio Dublasom  Guanabara.

A narração da frase "Londres, ao romper do século", foi realizada pelo locutor da Rádio Nacional William Mendonça.

Pelo estudo desta dublagem, verifica-se que ela foi realizada após a série de tv ter sido exibida ou no período próximo, pois foram mantidos dois dubladores originais da série: Isaac Bardavid e Lúcia Delor nos mesmos personagens.


A característica física e de personalidade da sra. Muir, difere bastante das personagens dubladas por Glória Ladany, assim a escalação de Nelly Amaral tenha sido mais adequada para a atriz Gene Tierney.




Outro ponto muito interessante é a presença da jovem Juraciara Diácovo dublando a jovem Anna.
Este fato, nos leva ao ano de 1969/70, época qm que a dubladora iniciou sua carreira, ainda com pequenos personagens.


O estúdio Dublasom Guanabara fez uma dublagem excelente e manteve Isaac Bardavid como Capitão Greg, um trabalho inigualável, onde sua voz casa, perfeitamente, com a personalidade do personagem.


Mais uma excelente dublagem brasileira de um período áureo!!




**ATORES / PERSONAGENS / DUBLADORES**



*Gene Tierney (Lucy Muir): Nelly Amaral*


*Rex Harrison (Capitão Daniel Gregg):

 Isaac Bardavid*

*George Sanders (Miles Fairley): Antônio Patiño*

*Edna Best (Martha Huggins): Lúcia Delor*


*Robert Coote (Sr. Coombe): Waldir Fiori*


*Vanessa Brown (Anna Muir): Juraciara Diácovo*


*Anna Lee (Sra. Miles Fairley): Ruth Schelske*

*Isobel Elsom (Angelica): Estelita Bell*

*Victoria Horne (Eva): Selma Lopes*

*Whitford Kane (Sr. Sproule): Orlando Drummond*

*William Stelling (Bill, noivo de Anna):


Lauro Fabiano*



**VAMOS REVER 3 TRECHOS DE O FANTASMA APAIXONADO**


**Vídeo/ 1


**Abertura inicial: Nelly Amaral, Selma Lopes, Estelita Bell, Lúcia Delor e Waldir Fiori**


**Vídeo 2 /
**Nelly Amaral e Isaac Bardavid**


**Vídeo 3 /
**Participação de Juraciara Diácovo**




**SÉRIE / FILME / 


DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS**



**PONTOS SEMELHANTES: 



1 - Os cenários foram mantidos na série, principalmente, o quadro do capitão Gregg e o local da sua luneta. Assim como a casa localizada isoladamente na praia das Gaivotas.


2 - A irreverência da personalidade do capitão Gregg.


3 - O sobrenome da sra. Muir, o primeiro nome da empregada: Martha, assim como o do capitão Daniel Gregg.


4 - A sra. Muir possui um pequeno cachorro.


5 - A sra. Muir se transforma numa escritora.







**PONTOS DIFERENTES**








1 - A série possui roteiros com humor, embora mantenha um "ar" de romantismo entre a sra. Muir e o Capitão Gregg.


2 - O primeiro nome da sra. Muir foi alterado de Lucy para Carolyn.


3 - Foi criado o personagem Claymore Gregg, o qual traz muitas situações hilárias à série, uma vez que se vê perseguido pelo seu antepassado o Capitão Gregg.


4 - A sra. Muir ao invés de uma filha, possui um casal de filhos ainda crianças.


5 - Ocorrem sempre diversas visitas ao chalé das Gaivotas. 




Um filme produzido em 1947, romântico, que inspirou a criação da série "Nós e o Fantasma", de uma forma criativa.


A dublagem destas produções fazem parte de um período, onde havia uma dublagem especialmente bem cuidada e de grande qualidade.


**Parabéns aos dubladores que participaram das duas produções !!!



**Fonte de pesquisa:


Site 70 anos de Cinema,

Acervo Pessoal.

**Colaboração: Edson Rodrigues e  

Augusto Bisson.


**Marco Antônio dos Santos**