25 de março de 2015

MEMÓRIA AIC (24): HONG KONG


Hong Kong (1960-1961)

Rod Taylor protagonizou Glenn Evans, um "correspondente norte-americano de dois punhos", baseado em Hong Kong e designado para cobrir o Oriente.


Evans foi igualmente hábil em crime de problemas, socos e romance. O jornalista suave frustrado chantagistas, traficantes, sequestradores e assassinos. Mas ele também conseguiu passar muito tempo em um smoking branco, entretendo senhoras encantadoras na boate Golden Dragon.

Na verdade, sobre a série, Taylor mencionou: "A coisa mais maravilhosa sobre como fazer a série" Hong Kong ",  ele disse em uma entrevista de 1961, "foi que eles usaram um protagonista diferente a cada semana."


  A série criou um forte senso de lugar e aventura, como Evans fechando  seu conversível branco, com Hong Kong como cenário. Também ajudando a definir o humor era partitura musical extraordinária do show, por Lionel Newman.



O resto do elenco de apoio incluído Lloyd Bochner como muito bom o inspetor-chefe Neil Campbell e Jack Kruschen como Tully, o proprietário do Bar do Tully.

Os relatórios dizem que Taylor recusou mais de uma dúzia de séries antes de assinar o acordo para "Hong Kong", que fez dele o ator mais bem pago de uma série de uma hora feita. O conceito e o personagem intrigou, como ele disse a um entrevistador, enquanto trabalhava no série:
 
"Eu senti o caráter de Glenn Evans poderia muito bem ser Rod Taylor. Eu não estou criando uma personalidade tela separada para isso. Se eu tenho lá em cima na tela e "fingiu" para 39 semanas, alguém iria ver através dele, ou então ficar muito doente dele. Ou o público me compra, ou estamos fora de sorte.
Agora, não confunda "personalidade tela" com "caráter". Este personagem de Glenn Evans, por exemplo, o correspondente americano itinerante, é um cara que pode ser encantador em uma situação de Cary Grant e ser tão suave - em seguida, tirar o casaco e se atracam, como Cary Grant não iria. Ele pode ser um cavalheiro e ainda ser difícil."

- TV Radio Espelho, janeiro 1961


**Lloyd Bochner como o inspetor Neil Campbell**

ABC e 20-Century Fox TV pensaram "Hong Kong" pode ser um blockbuster, mas ela não poderia competir contra "Caravana" na NBC. Além disso, o sofisticado espetáculo adulto aventura, teve um intervalo de tempo inadequado - a partir das 19h30 às quartas-feiras - e foi um pouco forte para a garotada. 


 Taylor observou sarcasticamente, "que somente 13,5 milhões estão nos assistindo", enquanto "Caravana" acumulou pontos de cerca de 34,5 a cada semana, Hong Kong pontuava de 10,6 a 12,7. Após o seu cancelamento, Rod disse a um entrevistador:
 
"Tentamos não fazer este apenas mais um "Hawaiian Eye", mas para realmente fazer um trabalho com um pouco de personalidade e realidade para ele. E o que acontece? Os serviços de notação dizem que ninguém nos observa. Ninguém ?! E sobre os milhares e milhares de cartas que despejam aqui porque estamos saindo do ar. [Após o cancelamento, o estúdio contados 10.000 cartas de protesto.]"

- Canais de TV, 23 de julho de 1961

No entanto, foi uma experiência de crescimento para o jovem ator. Além de obter o seu nome e rosto mais conhecido, Taylor disse: "Eu aprendi muito profissionalmente. Aprendi a trabalhar em diferentes áreas, para relaxar, onde eu estava tenso. E eu aprendi a dar mais de mim mesmo na peça, para canalizar mais de Rod Taylor e menos de Glenn Evans para o show. "





**Mai Tai Sing como Ching Mei**

A série foi encerrada com apenas uma temporada de  26 episódios, mais o piloto. O estúdio ainda tentou lançar novamente a série Hong Kong com um novo título "DATELINE", com Glenn Evans na cidade de São Francisco, mas a série nunca passou do programa piloto.  



Apesar do fracasso nos Estados Unidos, esta série fez muito sucesso no Brasil, onde foi apresentada pela extinta TV Tupi na década de 1960, com considerável nível de audiência.





**Rod Taylor nasceu em 11 de janeiro de 1930 e faleceu em 8 de janeiro de 2015, aos 84 anos, vítima de uma parada cardíaca**

**A DUBLAGEM DA AIC DE HONG KONG**

A série chegou ao Brasil já por volta de 1964 e foi uma das primeiras, juntamente com as séries Os Defensores e Os 3 Patetas, na qual surgia a narração de Ibrahim Barchini: "Versão Brasileira da Arte Industrial Cinematográfica São Paulo"

Neste período, a AIC realizava dublagens altamente impecáveis, devido ainda à forte influência do radioteatro. A direção de dublagem foi de Wolner Camargo, o qual também dublou o ator Rod Taylor.

Garcia Neto foi o dublador do ator Lloyd Bochner, interpretanto o inspetor Campbel.

Apesar da influência do radioteatro é uma dublagem de grande quilate, demonstrando a grande experiência dos radioatores trazida para a dublagem da AIC.

Hong Kong estreou em 1964, pela extinta TV Tupi, às quartas-feiras, às 20h30.

A emissora exibiu os 26 episódios que foram produzidos e nunca mais a série retornou em nenhuma emissora, apesar de que teve uma boa audiência no Brasil.

**EPISÓDIO DE HONG KONG DUBLADO** 

Através de colecionadores, temos o episódio nº 25 (o penúltimo), entitulado "O Doce Exílio".
Acreditamos que tenha sido o único sobrevivente ainda em película.

Segundo a Fox, a dublagem desta série não foi perdida inteiramente, entretanto devido a nunca ter sido mais exibida, durante esses 51 anos, o áudio magnético ficou muito prejudicado em diversos episódios.

Se um dia, alguma emissora a cabo se interessasse em exibí-la, provavelmente seria legendada, algo que dificilmente ocorreria no Brasil.

Mais uma dublagem de imensa qualidade da AIC, que praticamente desapareceu !!


**Neste episódio há a presença dos dubladores: Neuza Maria, José de Freitas e Marcelo Ponce** 



**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário