31 de agosto de 2014

CLÁSSICOS H.B. / AIC (04): O SHOW DE PEPE LEGAL


Pepe Legal (Quick Draw McGraw) foi a terceira produção de desenhos animados produzidos e criados por Hanna-Barbera, depois de outros dois sucessos "The Ruff & Reddy Show" (Jambo e Ruivão) e "The Huckleberry Hound show" (Dom Pixote). 

Ela foi apresentada originalmente nos Estados Unidos, entre 15 de setembro de 1959 a 3 de setembro de 1966, pela rede CBS entre 1959 a 1964 e depois pela ABC entre 1964 a 1966, em 7 temporadas de 30 minutos cada programa. O seu sucesso também gerou uma gama enorme de outros produtos como revistas em quadrinhos, brinquedos, jogos, etc.

 O personagem Pepe Legal era um oficial do Novo México e usava a insígnia de Xerife. O personagem era muito parecido com esses filmes de baixo orçamento sobre o Velho Oeste americano e como xerife demonstrava ser totalmente inapto.
 Ele falava devagar porque era muito lento para pensar e quando finalmente conseguia sacar sua arma, ficava equivocado e geralmente acabava atirando nele mesmo.


Cada episódio da série era de aproximadamente sete minutos, o que permitia ser apresentado quatro episódios por programa de meia hora, incluindo os comerciais. Pepe Legal era frequentemente acompanhado pelo seu ajudante, um burro mexicano chamado de Babalu, com um sotaque bem acentuado. 

Apesar de ser um burro, Babalu demonstrava ser muito inteligente. Uma de suas frases prediletas dizia "Pepe Legal es inteligente, o que lhe falta el pensamento...", justificando as confusões que Pepe Legal sempre se metia.

Pepe Legal foi uma forma que a Hanna-Barbera encontrou para satirizar os westerns, que naquela época faziam muito sucesso, principalmente entre o público americano. O personagem Pepe Legal era bem intencionado, mas ele geralmente mais atrapalhava do que ajudava.

**Babalu**

Na maioria das vezes era o seu ajudante Babalu, que era bem mais astuto, que acabava resolvendo o problema. Pepe Legal também era cheio de refrões do tipo "Oh Babaluuu", " .... e no no no se esqueça disso!" e outros, que se tornaram famosos.

Além de Babalu, o nosso herói tinha um cachorro chamado Rafeiro, que era o fiel amigo e companheiro de Pepe Legal, desde que ele recebesse um delicioso biscoito canino.

**Rafeiro**

 Assim que ele recebia, ele ficava se contorcendo todo, cheio de felicidade. Fechava os olhos e começava a flutuar, depois descia suavemente acompanhado por um som celestial.

Outra coisa muito curiosa de Pepe Legal era o fato dele ser um cavalo, mas andava somente com as patas traseiras e as patas dianteiras funcionavam como se fosse a mão, como um ser humano, assim era também com o Babalu. 


Em alguns episódios da série, Pepe Legal também assumia a identidade secreta do vigilante mascarado conhecido como "El Kabong", que era evidentemente uma paródia ao mascarado Zorro. 

**EL Kabong**


Como El Kabong ele atacava os seus inimigos, não com uma espada, mas sim com seu violão e dando o seu grito de guerra onomatopaico "KABOOOOOONG!" ou às vezes "OLAYYYEEEEEE!" e sempre lançando seu violão chamado de "Kabonger" sobre a cabeça de seus inimigos.

Pepe Legal dividia as apresentações com outros dois segmentos dentro do programa "The Quick Draw Show", o Bibo Pai e Bóbi Filho (Augie Doggie & Doggie Daddy) e um par de detetives chamados de Olho Vivo e Faro Fino ( Snooper & Blabber)


**A DUBLAGEM DA AIC**

O Show de Pepe Legal foi dublado entre 1962/63 e teve dois mestres dividindo a direção de dublagem e também participando de diversos episódios: Older Cazarré e Waldir de Oliveira.




 Ambos participaram , não só dos desenhos com Pepe Legal, mas também nos outros dois segmentos do show. A escalação dos dubladores principais foi extremamente bem cuidada e acertada.

O ator David Neto foi convidado especialmente para a dublagem de Pepe Legal, a qual imprimiu uma voz forte e com as pausas que a fala do personagem possuía.



David Neto dublou cerca de 80% dos episódios, mas se afastou da dublagem devido aos convites das emissoras de tv para atuar em novelas e também no Cinema. Foi substituído por Amaury Costa, o qual também executou um excelente trabalho e que seguiu as características dadas pelo 1º dublador.



Já para Babalu, Roberto Barreiros foi um caso à parte. Talvez entre todas as excelentes dublagens que realizou para desenhos, esta seja, sem dúvida, algo extraordinário, pois dublou com sotaque espanhol e de uma maneira muito simples, apenas dando de certa forma a sonoridade, para que as crianças pudessem compreendê-lo.


 Sem dúvida, esta dublagem figura entre as melhores para desenhos realizadas pelos pioneiros da dublagem da AIC.

**VAMOS REVER 2 EPISÓDIOS DE PEPE LEGAL** 

 **EPISÓDIO 1: DUBLAGEM DE DAVID NETO**
video


**EPISÓDIO 2: DUBLAGEM DE AMAURY COSTA** 
video



Bibo Pai e Bóbi Filho fizeram sua estreia no dia 29 de setembro de 1959, como parte de um segmento da segunda parte do show de meia hora de Hanna-Barbera, dentro de "The Quick Draw McGraw Show", que no Brasil ficou conhecido como Pepe Legal.

 Os roteiros foram escritos por Michael Maltese, que também fazia a série animada do Coyote e outros desenhos da Warner Bros. Daws Butler, que também fazia a voz de diversos personagens em desenhos, emprestava sua voz para o Bibo Pai, que era uma imitação cômica da voz do famoso ator Jimmy Durante. Essa característica acabou se perdendo com a dublagem.


Provavelmente o nome deste desenho no original "Augie Doggie and Doggie Daddy", foi assim criado para dar uma sonoridade cadenciada e propositalmente pelos criadores dos personagens como um recurso envolvendo rima, além do que formam um divertido jogo de palavras, fatores que podem ajudar muito para atrair a atenção do público alvo para o desenho animado. Na dublagem do nome para o português para Bibo Pai e Bóbi Filho essa rima divertida conseguiu se manter.

O desenho animado de Bibo Pai e Bóbi Filho utilizava a situação básica de  um pai canino muito competente, educando seu filho precoce, vivendo na década entre 1950 / 60 e eram animais tipicamente suburbanos e muito engraçados.

Bibo era alegre, cortês e inteligente, mas geralmente acabava mesmo sendo uma co-estrela de seu filho Bóbi.
 Bibo Pai tentava educar seu filho Bóbi da melhor maneira possível, dando-lhe bons conselhos e o seu filho recorria frequentemente a ele como "querido e velho Pai" que acabou se tornando um refrão muito conhecido.


The Quick Draw McGraw Show foi produzido e apresentado em três temporadas, num total de 45 episódios, onde Bibo Pai e Bóbi Filho conseguiram grande destaque.
 Eles viraram um grande sucesso naquela época e os personagens também surgiram num comics book de 1964, publicado pela Gold Key. 


**A DUBLAGEM DA AIC**


Felizmente a dublagem de Bibo Pai e Bóbi Filho não sofreu danos desastrosos que houvesse a necessidade para uma redublagem, como ocorreu com os episódios de Dom Pixote.


Os dois dubladores escalados efetuaram um trabalho exemplar, o que enalteceu os personagens para a versão brasileira dos desenhos, sob a direção de Older Cazarré, o qual participou de diversos episódios.




Bibo Pai foi dublado pelo ator Rogério Márcico, que na mesma época fazia a voz de Barney em Os Flintstones, além de convidados em séries de tv.

Sua caracterização vocal para o personagem demonstrava um pai preocupado com a educação de seu filho, embora ao mesmo tempo, era meio atrapalhado com certas "novidades" que surgiam.
Rogério Márcico criou uma entonação de voz totalmente adequada a este personagem de forma peculiar.



Com a expansão das telenovelas a partir de 1963/64, Rogério Márcico é absorvido integralmente pelas emissoras de tv e já, em 1964, se afasta da dublagem.
Dessa forma, no final da 2ª temporada e toda a 3ª e última, deste segmento dentro do "Show de Pepe Legal", Rogério Márcico foi substituído por Osmano Cardoso que dublou poucos episódios o personagem Bibo Pai.


Para o personagem Bóbi Filho foi escolhido Waldyr Guedes, que com a sua enorme potencialidade vocal e criativa imprimiu uma voz, através de mais de um de seus falsetes brilhantes.
Aliás, Waldyr Guedes participa, eventualmente, em episódios dublando outros personagens que surgem, demonstrando assim a sua capacidade inigualável para a criação de vozes.
Sem dúvida mais de uma de suas dublagens extraordinárias para desenhos animados naqueles idos da década de 1960.


**VAMOS REVER 2 EPISÓDIOS DE BIBO PAI E BÓBI FILHO**



**EPISÓDIO 1: OLDER CAZARRÉ DUBLA O CORVO**
video


**EPISÓDIO 2: O GATO É DUBLADO POR MAGNO MARINO**
video


**OLHO VIVO E FARO FINO**



 Olho Vivo e Faro Fino ("Snooper and Blabber") era o terceiro segmento dentro do "Show de Pepe Legal", produzido pela Hanna-Barbera Productions, narrando as aventuras de dois inimigos naturais, um gato e um rato, agora como dois grandes amigos trabalhando juntos como detetives particulares.

Bem antes de criarem a sua produtora, a dupla de animadores, William Hanna e Joseph Barbera já haviam trabalhado em séries com personagens antagônicos como em “Tom & Jerry”, que narrava as aventuras de gato e um rato, que às vezes eram amigos e em outras terríveis inimigos.
  
Quando Hanna e Barbera resolveram criar sua própria produtora eles trouxeram com eles a mesma ideia e, assim, criaram um dos primeiros desenhos especialmente para a televisão, com um gato e um rato.


Eles tinham sua própria agência, eram muito famosos e composto por Olho Vivo, o gato que geralmente assumia o comando de todas as missões, e Faro Fino, um rato que seguia suas ordens, além de admirar todas ações do gato, mesmo ele cometesse equívocos.

Toda vez que de seus suspeitos fugia, Olho Vivo gritava “Pare em nome da lei!!”, que acabou se tornando uma de suas frases mais célebres. Usava um chapéu pontudo muito parecido com a de Sherlock Holmes e Faro Fino um chapéu de aba comum e ambos usavam capas de chuva, que era a marca registrada dos detetives televisivos e cinematográficos da época.
  
As aventuras ou as investigações de Olho Vivo e Faro Fino geralmente começavam com eles sendo chamados por causa de algum acontecimento, como roubo ou sumiço de alguma coisa.


 Após a chamada eles saíam para tentar resolver o problema e os dois acabavam passando por diversos apuros e sempre no término do episódio, a solução acabava de uma forma inusitada ou inesperada, com Olho Vivo e Faro Fino, às vezes, se dando bem e em outras arranjando mais encrenca ainda.


**A DUBLAGEM DA AIC**

Neste outro segmento, foram escalados dois experientes dubladores para serem as vozes de Olho Vivo e Faro Fino.

A escolha não poderia ter sido melhor, efetuada por Older Cazarré, da qual constava o dublador Wadyr Guedes.
Novamente, ele demonstra que era um criador de vozes e interpretações fantásticas e dubla o gato Olho Vivo com um falsete que , sem dúvida alguma, fica difícil de reconhecermos o mesmo dublador de Bóbi Filho, de Chuchu e Bacana da turma do Manda-Chuva e muitos personagens ao longo de sua vida profissional.


**Waldyr Guedes**

Sabemos que o dublador deve sempre seguir a voz e a interpretação do original, porém em se tratando de desenhos, muitas vezes nossos dubladores acabam enriquecendo muito mais a produção estrangeira.
Neste caso, como em outros, Waldyr Guedes sempre deixou muito melhor a dublagem de um desenho animado, assim como outros dubladores também já o fizeram.

Já o rato Faro Fino ficou com Wilson Ribeiro, que também teve várias participações na dublagem dos desenhos da AIC, porém poucos personagens fixos.



A dublagem de Faro Fino foi um trabalho artístico também primoroso. A dupla Wilson Ribeiro e Waldyr Guedes deixou uma dublagem de alto nível, fazendo com que um desenho, não tão popular, ficasse "saboroso" ao assistí-lo dublado.

Essa é a grande façanha da dublagem !!!


**O SHOW DE PEPE LEGAL NO BRASIL**


Pepe Legal e outros dois segmentos sempre foram exibidos juntos por quase todas as emissoras de tv: Tupi, Globo, Record (diversas vezes), Bandeirantes, etc. desde a década de 1960 até meados da de 80, com alguns pequenos intervalos.


Com o surgimento do canal a cabo Cartoon Network, no início dos anos 90, o Show de Pepe Legal é desmembrado e os desenhos, até hoje são exibidos isoladamente, assim como fizeram com o Show do Dom Pixote e Zé Colmeia.



Dessa forma, nunca mais foi exibida a abertura, na qual os personagens dos três desenhos aparecem juntos. 
Depois do Cartoon Network, foram exibidos no Boomerang e ainda o são no canal Tooncast  de forma alternada.

Um grande sucesso que durante 50 anos é exibido frequentemente e os dubladores nunca receberam um centavo de direito autoral.



**VAMOS REVER 2 EPISÓDIOS DE OLHO VIVO E FARO FINO**



**EPISÓDIO 1: Zaide Nacaratto dubla a mãe**

video


**EPISÓDIO 2: Raymundo Duprat dubla o marciano**

video


**Marco Antônio dos Santos**

1 comentários:

Guga disse...

OI Marco. Fantástico artigo. Obrigado.

Postar um comentário