26 de maio de 2014

CLÁSSICOS H.B. / AIC (03): O SHOW DO DOM PIXOTE



A ideia de Huckleberry Hound Show surgiu logo depois de 1944 quando os diretores do departamento de animação da Metro Goldwyn Mayer, William Hanna e Joseph Barbera fundaram um companhia chamada H-B Entreprises, que se dedicava a produção de comerciais para a televisão.

Alguns anos depois, em 1957, a MGM resolveu fechar o seu estúdio de animação, deste modo William e Joseph converteram a H-B Enterprises e a transformaram na Hanna-Barbera Productions, uma produtora de animação dirigida para a televisão.

No início Hanna e Barbera sentiram muita dificuldade pois o tempo exigido para uma produção televisiva era bem mais curta e necessitava a geração de um novo episódio a cada semana, muito diferente da produção cinematográfica que ocupavam vários meses para sua confecção.



Em vista disso, Hanna e Barbera idealizaram um sistema de redução de tempo, partindo do pressuposto da reutilização de materiais, o que possibilitava a aparição de uma multiplicidade de personagens e com custo bem mais reduzido do que a média realizada pelos outros clássicos da época.

Através do uso dessa técnica criaram o seus primeiros personagens televisivos que foi apresentada em 1957, convertendo-se na segunda série animada especialmente feita para a televisão e o primeiro a cores. Este desenho animado era apresentado dentro de um dos segmentos de Jambo e Ruivão, que foi apresentado de 1957 a 1960, depois de 1962 até 1964, pela rede NBC.

Um ano depois foi lançada o segundo desenho do estúdio Hanna-Barbera como o nome de Huckleberry Hound Show (O Show do Dom Pixote), pelo qual os produtores puderam criar novos personagens, que por sua vez deram lugar a novas séries. O nome Huckleberry fazia referência a obra "The Adventures of Huckleberry Finn" criado por Mark Twain.



O programa era composto, além das aventuras de Dom Pixote (Huckleberry Hound), por outros segmentos como o de Zé Colmeia e Catatau (Yogi Bear and Boo Boo), Plic e Ploc (Pixie and Dixie), dois ratos que estavam sempre incomodando o gato Chuvisco (Mr. Jinks). Pouco tempo depois Zé Colmeia obteve seu próprio programa em 1961 e o seu segmento foi substituído por Joca & Dingue-Lingue (Hokey Wolf & Ding-a-Ling).
A série "O Show do Dom Pixote" foi encerrada em 24 de abril de 1962, depois de quatro temporadas de grande sucesso.


**A DUBLAGEM DA AIC**


Dom Pixote foi mais uma extraordinária criação vocal de Older Cazarré, que deu uma identidade bem mais brasileira ao personagem. Além de dublá-lo, também dirigiu todos os desenhos que compunham O Show do Dom Pixote.

O personagem , muitas vezes, canta: "Ó querida, ó querida,  ó querida Clementina...", e Older Cazarré imortalizou essa canção com a personalidade de Dom Pixote.
Um trabalho fantástico, o qual infelizmente teve quase 90% dos episódios perderam a dublagem original da AIC.


Houve uma redublagem desses episódios e, quando o desenho foi exibido pelas tvs a cabo: Cartoon, Boomerang e Tooncast, pouquíssimos episódios ainda apresentam a dublagem de Older Cazarré.
O curioso é que os demais desenhos do Show do Dom Pixote não perderam a dublagem de tantos episódios.


**VAMOS REVER DOM PIXOTE COM A DUBLAGEM DE OLDER CAZARRÉ**
video


**PLIC, PLOC E CHUVISCO**


Pixie and Dixie & Mr. Jinks era um desenho animado que narrava as aventuras de dois ratinhos, um chamado de Pixie e o outro de Dixie que gostavam geralmente de acabar com o sossego de um gato chamado Mr. Jinks. Os dois ratinhos ficaram conhecidos no Brasil como Plic e Ploc e o gato com o nome de Chuvisco.

A série foi criada e produzida pela Hanna-Barbera Productions e apareceu pela primeira vez dentro de "O Show do Dom Pixote", a partir de outubro de 1958, como um segmento secundário, juntamente com outro segmento de Zé Colmeia, onde o segmento principal tinha como astro o personagem conhecido por aqui como Dom Pixote.

Plic e Ploc era quase que uma cópia de Tom & Jerry, que também foram criados por Hanna-Barbera quando eles eram diretores do departamento de animações da MGM. Eles tinham estaturas quase idênticas e suas aventuras tinham o mesmo contexto de Tom & Jerry, mas com significativas variações, tais como falar com um acento cubano e mexicano respectivamente e o gato Chuvisco exibia um ar bem jovial e simpático.


Outra diferença bem marcante era que Plic e Ploc formavam um par de ratinhos, enquanto que no outro era apenas um, além disso em alguns episódios os ratos se mostravam no mínimo perversos com o pobre gato, mas suas ações tinham pouca violência e se concentravam mais em seus divertidos diálogos. Um famoso bordão ficou bastante conhecido na época "Eu odeio esses ratos!", além das risadas de Chuvisco.

Plic, Ploc e Chuvisco permaneceram dentro de O Show do Dom Pixote durante todas as temporadas da série. Ao todo foram 57 episódios em quatro temporadas.

Em 1961 os personagens apareceram em Little Golden Book, numa revista que comercializava produtos habituais da marca Hanna-Barbera como brinquedos, bonecas, roupas, etc., é claro que eles não eram as estrelas principais, mas tiveram o mesmo tratamento que Dom Pixote e Zé Colmeia.


**A DUBLAGEM DA AIC**


Como diretor de dublagem, Older Cazarré escalou dubladores com uma enorme facilidade para dublar desenhos e criar falsetes. Ele próprio dublou o ratinho Plic, mais um outro falsete, o qual viria repetí-lo para dublar o ratinho Chumbinho no desenho "Bacamarte e Chumbinho".

Já para o ratinho Ploc foi escalado Gastão Renné que possuía uma facilidade para diferentes personagens animados. Em alguns episódios, o próprio Gastão Renné dubla um outro personagem que surge: um outro gato ou cão, um pássaro, etc.



Para o gato Chuvisco fora escolhido acertadamente Magno Marino que conseguia dar as risadas escancaradas do personagem.

Magno Marino demonstra toda sua genialidade em dublar desenhos, pois também fazia o urso Catatau, amigo de Zé Colmeia, e diversos personagens em vários desenhos da época, como bandidos, chefões, etc.

Nunca conseguimos encontrar o motivo de Magno Marino ter se afastado da dublagem de Chuvisco nos episódios finais, sendo substituído por Arakén Saldanha. Há uma versão, não oficial, de que ele assumira uma outra atividade artística na época, provavelmente, na extinta TV Paulista.

Seja como for, esses quatro dubladores fizeram um trabalho que orgulha a história, não só da AIC, mas da Dublagem.


**VAMOS REVER PLIC, PLOC E CHUVISCO**


**VÍDEO 1: Gastão Renné dubla também o gatinho /
video


**VÍDEO 2: Gastão Renné dubla também o mordomo /

video


**JOCA E DINGUE-LINGUE**



Joca e Dingue-Lingue era um desenho animado de duas raposas fictícias criadas pela Hanna-Barbera Productions e apareceram pela primeira vez dentro do programa "O Show do Dom Pixote", entre dezembro de 1960 a outubro de 1961 e mostrava as investidas espertas que Joca vivia aplicando para conseguir sua comida.

Este segmento foi criado para substituir Zé Colmeia, o qual devido ao sucesso ganhou o se próprio "show".

 Joca não se limitava somente em enganar, mas também conspirar para conseguir seu intento e tinha a sorte de não ter nenhum guarda-florestal em seu calcanhar, mas assim mesmo geralmente acabava se dando mal.




 Joca e Dingue-Lingue tinham diferentes pontos de vista sobre o mesmo assunto, mas mesmo assim eram muito amigos e companheiros. Dingue-Lingue tentava sempre o alertar para certas coisas, uma espécie de "grilo falante", mas era sempre em vão, uma vez que Joca julgava-se sempre certo, mesmo dando as coisas erradas para ele.


**A DUBLAGEM DA AIC**


Older Cazarré, mais uma vez, teve a mão artística e escalou Francisco Borges para a dublagem de Joca. Na mesma época, este dublava o Leão da Montanha.
Joca necessitava de uma voz forte e sonora, porém sem as entonações que o Leão da Montanha tinha como marca registrada.
Francisco Borges deu um "ar de classe" ao personagem, mesmo que este vivesse sem trabalhar e pegar comida de alguma forma fácil.
Mais uma excelente perfomace do nosso querido Chico !!




Já o personagem Dingue-Lingue, possuía uma voz anasalada e surge outro especialista em desenhos para dublá-lo: Waldir de Oliveira, porém em virtude do seu tranbalho em Os Flintstones e Os Jetsons, muitas vezes fora substituído por Wilson Ribeiro, o qual também foi tão perfeito que muitos fãs nem percebem a diferença.


**VAMOS REVER JOCA E DINGUE-LINGUE**


*VÍDEO 1: A bruxa é dublada por Márcia Real /
video


*VÍDEO 2: A Raposa Malvada é dublada por Older Cazarré /

video


Exibido por diversas emissoras de tv, durante muitos anos fez a alegria da garotada com seus roteiros ingênuos e inteligentes.
Depois do evento da tv a cabo no Brasil, os segmentos foram desmembrados e exibidos isoladamente no Cartoon Network, Boomerang e Tooncast.

Infelizmente, a maioria dos episódios de Dom Pixote perdeu a dublagem original e foi inevitável a sua redublagem.

A dublagem da AIC, destes curtos desenhos, marcou época, praticamente duas gerações e só podemos agradecer a todo o elenco que deu a alma brasileira e, principalmente, a Older Cazarré, o grande "maestro" das dublagens de desenhos realizadas pela AIC.


**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário