2 de junho de 2012

BORGES DE BARROS NA TELEVISÃO



Borges de Barros já era um nome conhecido no meio artístico dos programas de Rádio na década de 1950. Um artista com grande potencial para o humor, mas também para o drama, era sempre aproveitado em programas humorísticos e nas radionovelas.

Com a chegada da televisão ao Brasil, em 18 de setembro de 1950, as emissoras que foram surgindo na cidade de São Paulo: Tv Tupi (a pioneira, 1950), em seguida a Tv Paulista (em 1952) e depois a Tv Record (em 1953), todas foram buscar os produtores, diretores e artistas que faziam tanto sucesso nos programas de Rádio, pois não tínhamos realizado uma "escola para fazer tv". Sendo assim, a nossa programação da década de 50 e até meados da de 60 foi fortemente elaborada e inspirada na estrutura que o Rádio já possuía desde a década de 1930, inclusive diversos programas migraram do Rádio para a Televisão.


**1957: Estreia de Borges de Barros na TV Paulista**


A Tv Paulista foi uma emissora de grande destaque nos seus 12 anos de funcionamento, produzindo diversos tipos de programas, ainda com a nossa tecnologia precária e todos "ao vivo", pois ninguém imaginaria que um dia surgiria o famoso "vídeotape".

Borges de Barros logo foi escalado para o programa "A Praça da Alegria" criado por Manoel de Nóbrega, como o seu personagem "Caro Colega", um mendigo que dizia que vivia nas altas rodas da sociedade e era amigo de diversos artistas e políticos, um personagem que realizou durante quase 40 anos.

 Quando a Tv Paulista foi vendida  para o jornalista Roberto Marinho, em 1964, a fim de implantar a Tv Globo paulista, o programa migrou para a Tv Record, onde ficou durante anos fazendo sucesso semanalmente.
Desde o final da década de 1980, Carlos Alberto de Nóbrega apresenta "A Praça é Nossa", na qual Borges de Barros ainda participou por cerca de mais de 10 anos com o mesmo personagem.

**Borges de Barros com o seu personagem "Caro Colega"**

**Aqui, um pequeno resumo da história da Tv Paulista:

 "Pertencia inicialmente ao grupo do deputado Ortiz Monteiro. O diretor de teatro italiano Ruggero Jaccobi era então o superintendente da emissora. Com 3 câmeras, a TV Paulista funcionava precariamente num modesto prédio de apartamentos na rua da Consolação, quase esquina da Av. Paulista. Mas foi assim mesmo que nasceu a 1ª estação concorrente da pioneira Tupi. Vindo do Rádio carioca, Antonino Seabra dirigiu um dos primeiros seriados da tv brasileira: “O Invisível”, inspirado no célebre personagem “O Sombra”. Em 1953, Gilberto Martins programou “O Circo do Arrelia” para animar a garotada aos domingos, e a atriz Cacilda Becker foi contratada, impulsionando a produção de teleteatros, que viraram uma especialidade da TV Paulista.

 Em 1955, Ortiz vendeu o canal às Organizações Victor Costa, que compreendiam também as Rádios Excelsior e Nacional. No ano seguinte, a emissora mudou de endereço, instalando-se em um prédio de 5 andares na Rua das Palmeiras. Em 1957, Manoel da Nóbrega lançou seu famoso humorístico “Praça da Alegria”. Sílvio Santos também despontou na TV Paulista: a estreia do animador foi em meados dos anos 50, apresentando e participando de diversas atrações da emissora. Sem conseguir competir com a Tupi, a TV Paulista sucumbiu e mudou novamente de dono  e de nome. Vendida ao empresário Roberto Marinho em novembro de 1964, o canal foi reestruturado gradualmente para a implantação da TV Globo paulista, que a partir de 26 de abril de 1965 passou a transmitir já com o novo nome da emissora."

Na produção de teleteatros, Borges de Barros foi escalado, por diversas vezes, para interpretar personagens dramáticos, nos quais sempre se saiu magnificamente. Evidentemente, sua extraordinária capacidade para o humor ficou muito mais conhecida do público, mas este grande artista conseguia desempenhar o drama e a comédia de formas exemplares.


Essa enorme capacidade que possuía também para o drama se mostrou nas dublagens realizadas na AIC. Há inúmeros exemplos de atores dublados em séries de tv e, principalmente, em filmes nos quais mostrou esse potencial, como a dublagem do Quasímodo no filme "O Corcunda de Notre Dame" e a do ator Lee. J. Cobb no filme "Sindicato de Ladrões", entre diversas realizadas.


**Borges de Barros em mais um teleteatro da Tv Paulista**


**Aqui, um trecho da extraordinária dublagem para Dr. Smith em Perdidos no Espaço**

**Trecho do episódio: "Uma Visita ao Inferno"** video

**Um artista do mais alto gabarito que deixou um enorme legado à História do Rádio, da Televisão e da Dublagem brasileira**

**Borges de Barros nasceu em 27 de março de 1920 e faleceu em 12 de dezembro de 2007**


**Fonte de Pesquisa: "Museu da TV Brasileira"**

**Colaboração/Fotos: Claudevan Melo**



**Marco Antônio dos Santos**

1 comentários:

Claudevan Melo disse...

Meu amigo Borges, esteve presente em duas exposiçoes que fiz e alguns momentos vivemos a falar de seu idolo o Rei da Voz Francisco Alves. Saúdo sua memória

Postar um comentário