9 de julho de 2010

ENTREVISTA COM DULCEMAR VIEIRA


Dulcemar Vieira sempre teve uma veia artística muito forte, atuando em diversos segmentos: Rádio, Televisão, Teatro e Dublagem. Uma artista, da sua extraordinária competência, integrou também o elenco da AIC, deixando dublagens impecáveis em diversos filmes e séries de tv da época: A Feiticeira, A Noviça Voadora, Daniel Boone, Jornada nas Estrelas, Lancer, Terra de Gigantes, etc.

Aqui, um pouco da sua carreira, que gentilmente nos concedeu este depoimento valioso.


1 - Você, desde muito jovem, iniciou a sua carreira artística ingressando no rádio. Como foi a experiência de ser radioatriz ?

R: Maravilhosa. Eu era quase menina e tinha uma voz grave e bonita. Foi na Rádio Bandeirantes em 1950.

2 - A televisão como surgiu na sua carreira ? A TV ao vivo foi uma "grande escola" para muitos atores da TV Tupi, e para você o que representou esse período ?

R: Fui chamada para trabalhar na Rádio e Tv Tupi. Sai da Bandeirantes em 1957 e fui para lá. Fiz pouca Tv. Era ao vivo e foi muito bom.

3 - E a dublagem ? Foi uma conseqüência do seu trabalho ? Como você foi parar num estúdio de dublagem ?

R: Fui morar em Santos. Depois de muitos anos de ausência do rádio e tv, voltei para São Paulo. Foi difícil voltar à carreira, então resolvi experimentar a dublagem. E deu certo.

4 - A AIC, até hoje, possui inúmeros fãs da dublagem realizada naquele estúdio. Como foi essa experiência em participar da AIC ?

R: Foi uma escola. A gente aprende a respirar direito se quer sincronizar bem. O segredo da dublagem é: sincronizar e interpretar os personagens.

5 - Quando você iniciou a dublar, quem ou quais dubladores te deram algumas orientações para que você desenvolvesse o teu excelente trabalho ?

R: Foram tantos que será muito difícil lembrar de todos. Mas, teve um em especial, do qual vou falar. Foi o José Soares, que havia sido meu colega de rádio.

6 - Segundo nosso banco de dados, encontramos registro apenas de uma personagem fixa dublada por você: a irmã Sixto da série A Noviça Voadora. Entretanto, há dezenas de dublagens em diferentes filmes e séries de tv da época , as quais são admiradas até hoje pela sua competência. Com a tecnologia existente, na década de 1960, era um trabalho difícil para os dubladores ?

R: Para mim foi fácil. Antes de começar a dublar, eu fiquei uma semana nos estúdios vendo como se fazia. Eu, particularmente, prefiro a dublagem como era feita antigamente, era mais calorosa, com a participação de vários dubladores ao mesmo tempo. Hoje em dia a dublagem é feita de uma maneira mais fria, técnica. Quanto a personagem fixa dublada por mim foi apenas a irmã Sixto. Minha participação maior foi em filmes clássicos de longa metragem.

7 - Na mesma época, você também produzia e apresentava um programa de rádio, algo ainda pouco comum, para uma mulher, na década de 1960. Qual foi a receptividade do programa "Saudade teu nome é mulher" ?

R: Fui, modéstia a parte, líder em audiência no horário. O programa era sobre a música da velha guarda. Adorei fazer. Era um programa romântico.

8 - Você se dedicou muito ao teatro infantil, escrevendo e produzindo peças. Você se identificou muito mais com o Universo da Criança ? Por quê ?

R: Sim, até hoje me sinto bem trabalhando; com e para crianças. Aqui em Diadema, já contei muitas histórias infantis, de minha autoria, na biblioteca central da cidade. Também já participei de festival de teatro em Diadema mesmo. Em um deles ganhei em primeiro lugar e no segundo festival ganhei em segundo, apresentando peças infantis de minha autoria. Apresentei também peças adultas de minha autoria, dirigi teatro infantil com atores descobertos por mim.

9 - Você foi uma profissional que atuou de forma bem diversificada: radioatriz, tv ao vivo, dublagem, apresentadora de programa de rádio, atriz de novela, autora e produtora de peças teatrais. Gostaríamos da tua opinião sobre o momento atual :

a) No rádio.
 R: Não se faz mais rádio como antigamente.

b) Na dublagem.
 R: Estou afastada da dublagem atual, mas sei como é feita. Gosto mais da forma antiga.

c) Na televisão.
R: Não existe mais tv ao vivo, tudo é gravado.

d) No teatro.
 R: O teatro continua o mesmo, ao vivo. Viva!!!!!


 
10 - Após tantos anos dedicados à Arte, que mensagem você transmite para os admiradores do teu trabalho, sobretudo na dublagem ?

R: Tente, experimente. Se puder assista algumas dublagens e descubra a magia da arte que é dublar.

** Aqui, Dulcemar Vieira dublando a Irmã Sixto na série A Noviça Voadora:
video


** AGRADECEMOS A DULCEMAR VIEIRA E A SEU FILHO, NELSON MACHADO, QUE PROPICIOU ESTA PEQUENA ENTREVISTA **


** Marco Antônio dos Santos **

1 comentários:

Luciene Cavalcanti disse...

Agora recordo bem a voz de Dulcemar Vieira e a sua excelente interpretação.
O curioso é que ela voltaria a dublar a atriz Anne Seymour no episódio "Seis Horas para Viver" na série Terra de Gigantes.
Excelente dubladora !
Ótima entrevista!

Postar um comentário