22 de maio de 2010

MEMÓRIA AIC (08): O ANJO DO ESPAÇO



O Anjo do Espaço foi um desenho animado de televisão que mostrava as aventuras de um agente espacial que usava o codinome de Scott McCloud e trabalhava para uma agência de investigação da Terra denominada “Earth Bureau of Investigation”, uma organização dedicada a proteção e ao bem-estar de todo o sistema solar.

O agente Scott McCloud, também conhecido por Anjo do Espaço viajava numa super-astronave de combate chamada Starduster que tinha sempre como ponto de partida uma estação espacial denominada de Evening Star.


Além de McCloud, que era o Capitão e por diversas vezes pilotava a nave, havia a especialista em eletrônica e astro-navegação chamada Crystal Mace; também um excelente piloto e mecânico conhecido por Taurus e o Professor Mace, que além de ser pai de Crystal comandava a estação Evening Star.


O capitão McCloud usava um tapa-olho devido a um acidente e uma vestimenta de astronauta branca e suas aventuras envolviam combates espaciais interplanetárias, onde enfrentava diversos tipos de inimigos, entre eles o terrível Anthenians, que era um vilão que vivia numa cidade muito semelhante a Antiga Roma.


Neste local, os civis vestiam togas e os soldados, que eram uma combinação de antigos guerreiros gregos e romanos, usavam uma armadura com capacetes ao estilo coríntio, todos armados com os poderosos rifles Blaster.




Outra inimiga do Anjo do Espaço, que cruzava freqüentemente com ele, era uma rainha chamada Evil Queen of Space, muito semelhante a Nefertiti e o seu comparsa conhecido por “The General”, que usavam uma nave invisível para perturbar o comércio interestelar.


Apesar de não ter sido um sucesso estrondoso, conseguiu um lugar destaque muito especial dentro da animação devido a algumas de suas peculiaridades. O desenho animado foi criado ao roteirista/diretor Dick Darley e Dick Brown, produzido pela Cambria Studios, utilizando uma técnica conhecida como “Synchro-Voz”, patenteada pela Cambria, que utilizavam lábios humanos reais que eram sobrepostos aos desenhos dos personagens para simular as falas.


Essa mesma técnica foi utilizada anteriormente, pelo mesmo estúdio para a série Clutch Cargo. Era uma técnica não muito admirada, além de muito limitada, considerado por muitos como uma tremenda esquisitice e também onde os desenhos eram feitos num grande painel contendo o ambiente e os seus personagens, que acabavam se interagindo através dos deslocamentos da câmera sobre o painel, passando a impressão de movimento no desenho animado.


A técnica de “Synchro Vox” foi uma técnica utilizada em algumas poucas produções e pouco tempo depois o sistema foi abandonado, devido a sua precariedade. A série também tem uma importância muito grande, não por sua técnica, mas por ser o primeiro trabalho de animação do desenhista Alex Toth, que já era muito conhecido através de suas histórias em quadrinhos, especialmente pela DC Comics, onde trabalhou em projetos como Johnny Thuder e Rex the Dog Wonder, entre outros.




Também era conhecido pela publicação de comics para a editora Dell Comics, além de seus trabalhos em storyboard para filmes em live-action. Posteriormente a série Anjo do Espaço, foi trabalhar para a Hanna-Barbera Production onde adquiriu notoriedade pelos seus trabalhos como "Space Ghost", "Shazzan" e no desenvolvimento de "Godzilla", entre outros, assim como “De Volta ao Planeta dos Macacos” para a DePatie Freleng Enterprise.


O Anjo do Espaço foi apresentado inicialmente nos Estados Unidos, com estréia em 6 de fevereiro de 1962 e sua produção foi continuada até 1964.


Cada aventura contava uma história de ficção científica que se concluíam ao final de cinco episódios, perfazendo um total de 260 episódios ou 52 aventuras. Ao final de cada episódio, era finalizada com os famosos "ganchos", ou seja, aquela em que o final do episódio é encerrada num momento de grande de tensão e perigo, onde o locutor intervinha com as famosas frases do tipo: “o que acontecerá com o nosso herói, será que ele conseguirá se salvar das garras do terrível.....?” ou coisas do gênero.




No Brasil, este desenho foi exibido pela primeira vez na década de 1960 pela extinta TV Tupi, depois foi apresentado pela TV Record e também na TV Gazeta, em diferentes épocas e horários. Em julho de 2008, a VCI Entertainment lançou um DVD para os Estados Unidos, contendo nove aventuras do desenho.


A dublagem foi realizada pela AIC e os três personagens principais foram dublados por: Flávio Galvão (Anjo do Espaço), Miguel Rosenberg e Magda Medeiros.



** AQUI O TRECHO DE UM EPISÒDIO COM A SUA RESPECTIVA DUBLAGEM







**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário