12 de abril de 2010

DUBLADOR EM FOCO (78): SANDRA CAMPOS



Sandra Campos nasceu na cidade de Catanduva, interior de São Paulo, no dia 25 de outubro de 1941.

Uma das dubladoras mais admiradas pelo excelente trabalho que deixou, porém há anos procuramos a sua biografia, mas não encontramos praticamente nenhuma informação.
 É curioso que desta dubladora não encontramos nada a respeito da carreira artística antes de ingressar na dublagem. As informações que seguem são oriundas de conversas com outros dubladores e de registros sonoros realizados nas dublagens.

Maria da Penha Rosa era o seu nome verdadeiro e adotou Sandra Campos como nome artístico. Seu ingresso na AIC, provavelmente, foi em meados de 1967, mas antes já era uma dubladora com experiência na Gravasom, Ibrasom e Odil Fono Brasil.


BETH: TERRA DE GIGANTES


Assim que chega à AIC, logo recebe um personagem fixo na série A Caldeira do Diabo (Peyton Place): Rita Jacks, interpretada pela atriz Patricia Morrow, em seguida viria a comissária de bordo Beth na série Terra de Gigantes, paralelamente dubla diversas atrizes convidadas em séries da época: Jornada nas Estrelas, Daniel Boone, Lancer, etc.


Em seguida, recebe outro personagem fixo: a feiticeira atrapalhada Esmeralda, empregada de Samantha e James, aqui Sandra Campos a dublou de uma forma exemplar captando na fala a personalidade confusa da personagem, onde faz uma voz com tendências sempre ao mêdo e muito inibida, mas ficou pouco tempo com Esmeralda, sendo substituída por Yolanda Cavalcanti.


Segundo informações de seus colegas, Sandra Campos era muito mais escalada para a dublagem de atrizes nos filmes, sendo assim sua presença em séries de tv diminuiu muito.




Na AIC, ainda realizou um dos seus trabalhos mais marcantes: a dublagem de Elizabeth Taylor em "Cleópatra" e "De Repente no Último Verão". Também dublou Jane Fonda em Dívida de Sangue, Diana Cilento em Hombre, Geneviève Bujold em Ana dos Mil Dias, O Colecionador, etc.

Mesmo com o encerramento da AIC, Sandra Campos continuou na dublagem e dublou diversos filmes no estúdio BKS até 1978. Nessa época, mudou para o Rio de Janeiro e ganhou um personagem (Dirce) na novela Dancing Days, de Gilberto Braga. A novela foi um enorme sucesso, pois lançava as Discotecas tão frequentadas no final da década.

Após esse período, Sandra Campos retorna a São Paulo e a dublagem, principalmente pela BKS, estúdio que mantinha um grande número de dublagens de filmes como : Terremoto, Tubarão, Em Algum Lugar do Passado, etc.. É desse período o filme A Profecia, onde dubla Lee Remick e algumas séries de tv, como Super Vick.



Com Tiffany Brissette, Dick Christie, Marla Pennington, Jerry Supiran e Emily Schulman.
Super Vick é a história de uma menina-robô criada pelo pai, um inteligente cientista. Dotada de poderes e habilidades inimagináveis, Vick virava de cabeça para baixo a casa dos Lawson, que faziam de tudo para a vizinhança não desconfiar que sua filha era, na verdade, um robô.

Foi ao ar entre os anos de 1985 e 1989 e teve um total de 96 episódios. Aqui, a dublagem de Sandra Campos foi maravilhosa, dando uma voz de menina-robô. Esta série estreou na Rede Globo e, posteriormente, foi exibida pela Rede Record e pelo canal a cabo Fox.


No início da década de 1990, a Rede Record trazia uma série de grande audiência americana "Assassinato por Escrito", com Angela Lansbury, sua estreia aconteceu em 1993, porém a emissora só exibiu a 1ª temporada e, segundo consta, teria sido a sua última personagem a ser dublada: a escritora Fletcher que acabava desvendando os crimes. Esta dublagem também foi realizada pela BKS.


** A 1ª VOZ DE JESSICA FLETCHER NA SÉRIE ASSASSINATO POR ESCRITO**


Em 1996, o extinto canal cabo USA além de trazer a série, resolve exibí-la na íntegra, porém mesmo sendo dublada pela BKS, Sandra Campos foi substituída por Arlete Montenegro.


Não temos informações corretas, mas segundo a direção do canal USA, isso ocorreu porque Sandra Campos estava muito doente, vindo a falecer em setembro de 1997, na cidade de Praia Grande, vítima de enfisema pulmonar e cirrose hepática.


Seja como for, é mais uma dubladora esquecida pela mídia. Deixou centenas de trabalhos, alguns brilhantes. Segundo seus colegas de trabalho, sempre foi dona de uma personalidade forte e, principalmente, à frente de seu tempo.


A nós, com tão poucas informações, resta-nos agradecer pela dublagem realizada, a qual ainda temos a oportunidade de ouvir.



**No início da carreira, no estúdio Gravasom, no episódio "O Manequim", da série Além da Imaginação, em 1961**
video


**Uma de suas dublagens mais famosas: Cleópatra. video


**Dublando a empregada atrapalhada Esmeralda, na série A Feiticeira"

video




** Marco Antônio dos Santos **

1 comentários:

David Rodma disse...

Fiquei imaginando quem seria a dubladora de Super Vicky que me trouxe aqui. Obrigado pela informação, apesar de ser pouca coisa, é a melhor biografia que existe

Postar um comentário