20 de agosto de 2009

MEMÓRIA AIC (01): SERIADOS DO CINEMA NA TV



O mocinho luta com o bandido perto de um precipício. Os dois acabam caindo e mergulhando rumo à morte. A tela escurece e aparece a mensagem anunciando o episódio seguinte, na próxima semana, “neste mesmo cinema”.

Esse era o formato dos famosos seriados que fizeram sucesso durante as décadas de 1930 e 1940. Embora para as audiências modernas seriado ou série sejam sinônimos de TV, esse tipo de filme apareceu primeiro no cinema e só na na década de 1950 foi para a televisão nos Estados Unidos.

Com uma média de 15 episódios, com tempo variando entre 15 e 20 minutos, boa parte dos seriados se inspiravam em heróis de histórias em quadrinhos, como Flash Gordon, Batman, Mandrake, O Besouro Verde, etc. Em geral, traziam um enredo para a temporada, focado no conflito do herói com o vilão ou alguma organização criminosa.

Não se deve confundir esses seriados, que possuíam um cronograma de argumento pré-estabelecido, com produções como Tarzan, Sherlock Holmes e Charlie Chan, em que vários filmes independentes foram realizados ao longo dos anos.

Para dar suspense, prender a atenção do público e fazer com que as pessoas voltassem ao cinema na próxima semana, perto do fim do capítulo, o herói era colocado em alguma situação de perigo, com desfecho anunciado para o episódio seguinte.

 No início do próximo filme, letreiros resumiam o capítulo anterior e eram exibidas fotos dos personagens para relembrar o ocorrido ou informar quem estivesse assistindo pela primeira vez (as séries Perdidos no Espaço e O Túnel do Tempo, na década de 1960, adotaram esse sistema também).

**Marte Invade a Terra**

A exemplo do Tarzan Johnny Weissmuller, o norte-americano Buster Crabbe também se destacou nos esportes como medalhista olímpico de natação e protagonizou o Rei das Selvas. No entanto, foi como Flash Gordon que Crabbe se imortalizou no cinema, encarnando o herói futurista criado por Alex Raymond em 1934.

Buster interpretou Flash pela primeira vez em 1936, na série Flash Gordon no Planeta Mongo, em que se confronta com seu arquiinimigo Ming, o Impiedoso. O loiro ainda viveu Gordon em dois seriados, um em 1938 e outro em 1940. Sete décadas depois, essas películas viraram Cult pela mistura de elementos da ficção científica com visuais medievais e do Império Romano.

Para muitos pode parecer ridículo ver naves espaciais soltando fogo e pistolas de raios ou monstros toscos. Porém, essa estética influenciou por décadas a ficção científica no cinema e na TV.

Em 1937, surge um estrondoso sucesso: "Império Submarino". Estrelado por Ray Corrigan. Uma ficção científica caríssima para a época. Assim, durante duas décadas dezenas de seriados foram produzidos para o cinema, como Marte Invade a Terra, O Homem Foguete, etc.

Na década de 1960, a nossa televisão necessitava preencher muito o seu horário vespertino, pois a produção de seus próprios programas era ainda muito precária. Dessa forma, por volta de 1968, a extinta Tv Excelsior de São Paulo adquiriu um lote imenso desses seriados, quase que totalmente dublados pela AIC e exibidos durante às tardes.

Infelizmente, esses seriados com o decorrer do tempo foram totalmente esquecidos, até pelas tv a cabo e, praticamente só Flash Gordon foi exibido pelo canal Multishow, com legendas.

O paradeiro desses seriados é confuso, não se sabe ao certo, mas muitos colecionadores ainda possuem cópias dubladas pela AIC da época.

**Neste vídeo, um trecho de Flash Gordon conquista o Universo**



Aqui, um pequeno trecho de "Marte Invade a Terra" com a sua dublagem original da AIC.






**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário