11 de agosto de 2009

ENTREVISTA COM ALDO CÉSAR



**ESTE PEQUENO DEPOIMENTO DE ALDO CÉSAR NOS FOI PROPORCIONADO DE MANEIRA INFORMAL, EM 15/03/1993 , NAS DEPENDÊNCIAS DO EXTINTO ESTÚDIO MEGASOM NA CIDADE DE SÃO PAULO.**

**PROCURAMOS, NA MEDIDA DO POSSÍVEL, RETIRAR A ORALIDADE DO TEXTO**


1 - Aldo, como você descobriu que ser dublador e ator seria o teu caminho ?

R: Isso já faz muito tempo, rs,rs,rs. Eu nem tinha completado eu acho os meus 18 anos e já estava bebislhotando algumas Rádios, porque eu queria muito ser alguma coisa no Rádio, ainda estava sem saber bem o quê. Na Rádio Mayrinck Veiga já me conheciam e um dia pediram para eu tentar narrar os nomes dos atores de uma radionovela. Gostaram da minha voz e fiquei. Fui ficando tendo mais espaço. Aí , posteriormente passei por outras Rádios também como locutor e, algumas vezes, até como radioator.


2 - E a televisão veio junto com a dublagem ?

R: De certa forma sim. Eu fui participar de uns capítulos da novela Redenção na extinta TV Excelsior, acho que em 1966, e lá havia muitos atores que participavam da dublagem e diversos colegas diziam que devia tentar devido à minha voz e interpretação.


3 - Você se lembra qual foi o seu primeiro trabalho em dublagem na AIC ?

R: Olha, eu me lembro porque foi curioso. Eu fui até à AIC, como sugeriram os colegas. Lá eu procurei o saudoso amigo Older Cazarré e ele olhou bem para mim e disse: "Você leva jeito para fazer vilão, vejo isso pela sua fisionomia". Ele então me explicou como era o processo da dublagem e me deu um soldado nazista em um filme. Eram pouquíssimas falas, mas ele era muito terrível. Quando terminei, ele disse para mim: "Pronto já está gravado, ficou ótimo". O que era um teste ficou dublado oficialmente, fiz uuns diálogos com o querido amigo que já partiu Astrogildo Filho.


4 - Você foi um dos dubladores da AIC mais escalados para os vilões ?

R: Um pouco devido ao soldado nazista. Aí quando tinha aqueles bandidões nos filmes, sempre se lembravam de mim.


5 - Ao mesmo tempo, sua voz também sempre caía muito bem para os homens refinados, muito educados. O que você preferia ?

R: Ambos, porque eram exercícios diferentes de interpretação com a voz e isso é ótimo para um dublador.


6 - Você praticamente não teve personagens fixos em séries de tv, com exceção do Jason Bolt na série E as Noivas Chegaram, por quê ?

R: Na realidade, eu acho que a dublagem que eu fazia era mais adequada para diferentes personagens, foi o que realmente ocorreu. Para mim, isso era muito bom, porque, além de você ser sempre escalado, rs,rs,rs, eu sempre tinha um desafio. Puxa! Não me lembrava mais que tinha dublado nessa série!


7 - Os fãs das dublagens da AIC, sempre disseram que a sua voz era perfeita para o ator Rex Harisson. Você concorda ?

R: Não sei se era a mais adequada, mas eu tenho como os meus melhores momentos dublar esse grande ator. Adequar a interpretação dele, seu tom de voz, foi algo muito gratificante, porque acabei sempre o dublando, mesmo fora da AIC.


8 - Do que você sente mais saudades daquela época na AIC ?

R: Rs,rs,rs, dos amigos. Das reuniões de lazer que fazíamos, daqueles que tinham paciência comigo quando tropeçava na dublagem de um anel e tínhamos que retornar a fazer. Lá, eu só fiz amigos....


9 - E a sua carreira na televisão, quais foram para você o seu grande momento até agora ?

R: Bem, depois de Redenção, eu me dediquei mais à dublagem e só retornei no início dos anos 70 na Tupi. Lá fiz diversos trabalhos, mas a novela O Profeta da Ivani Ribeiro, foi maravilhosa. Agora, com um personagem totalmente oposto, fiquei muito honrado com o convite do Paulo José para participar da minissérie O Tempo e o Vento. Um clássico extraordinário da nossa literatura! Foi inesquecível esse trabalho!


10 - Deixe uma mensagem para os inúmeros fãs que acompanham o teu trabalho, inclusive os jovens, devido às dublagens de produções japonesas.

R: Primeiramente, agradeço muito e creio que não mereço tanto, porque foi um trabalho que sempre fiz com muita dedicação. Digo a todos que, seja qual for a profissão que exerçam, que sempre tenham ética. Essa palavrinha esta, infelizmente, um pouco esquecida no Brasil. A você Marco Antônio que me procurou com tanta ênfase, eu agradeço esta oportunidade de contar um pouco da carreira de ator e dublador. Muito Obrigado!

**Aldo César faleceu em 05 de janeiro de 2001**


**Agradecemos a esse artista que nos acolheu com tamanha paciência e simpatia. Certamente, seu trabalho é inesquecível para todos os fãs da boa dublagem**


** No filme "A Teia de Renda Negra", dublando o ator Rex Harisson **
video




**Marco Antônio dos Santos**

4 comentários:

Brevilheri Jr disse...

Conheci ldo Cezar pessoalmente em 1990 quando produzi um vt publicitário para uma cooperativa do interior do Paraná. Eu atuava no mercado de Londrina e contratamos o Aldo para fazer o papel de velho avô agricultor. Para mim, na época com 30 anos, conhecer o Aldo foi uma grande alegria. Eu cresci vendo seu trabalho através da TV TUpi e ter contato pessoal com ele foi muito bom. Ele demonstrou ser um profissional que respeitava muito sua profissão, seus companheiros e falava de sua trajetória de maneira generosa e com muita humildade. Fiquei surpresa ao saber que a voz do Cristo da série Dom Camilo e os Cabeludos, que era estrelada por Raul Zelloni era dele.
Tinha uma colocação de voz muito refinada a ponto de marcar minha infância com a voz de Jesus numa produção que era comédia.
Pesquisando hoje pela Internet, em 2010, descobri só agora que Aldo Cezar partiu há quase dez anos.
Foi um grande cara, daqueles que marcaram sua passagem por aqui pela humildade e sinceridade em cada palavra.
Que Deus continue iluminando sua alma por onde quer que esteja.
Waurides Brevilheri Jr
Publicitário-Curitiba-Pr
14/02/10

Adalbero Queiroz disse...

Gostaria de saber se o Aldo César foi o intérprete de Marduk, na Radionovela O Egípcio - de Ivanir Ribeiro, junto com Lenita Helena
Ézio Ramos, Leonor Navarro e outros.
Se for eu passei mais de 40 Anos para encontrá-lo e dar
PARABÉNS!

Unknown disse...

eu lembro bem dele na novela o egipcio

marlene souza pereira disse...

gostei do site

Postar um comentário