8 de agosto de 2009

DUBLADOR EM FOCO (61): HÉLIO PORTO


**HÉLIO PORTO NO INÍCIO DA DÉCADA DE 1960**




Por incrível que pareça, não encontramos quase dados sobre Hélio Porto, um dos nomes mais importantes para o sucesso de muitas séries de tv dubladas pela AIC na década de 1960. A própria internet não oferece praticamente nada.

O que abordaremos aqui é fruto de observação e, principalmente, das informações fornecidas a nós, em 1989, pelo saudoso Borges de Barros, que teve um contato bem estreito com Hélio Porto na dublagem, e pela dubladora Gessy Fonseca com quem foi casada durante 11 anos.


Hélio Porto nasceu em 1940. Estudioso da língua inglesa, falava e lia fluentemente. Sua biblioteca possuía diversos exemplares somente em inglês. Tradutor exíminio e dono de uma capacidade extraordinária, traduzia automaticamente apenas ouvindo e datilografando os textos para a dublagem, já criando expressões correspondentes para o português, mas também tendo como objetivo a sincronia com a boca dos atores.


Em 1963, após o seu casamento com Gessy Fonseca, se transfere do Rio de Janeiro para São Paulo indo trabalhar no estúdio Ibrasom. Lá, ambos ficaram apenas um ano e , em 1964, ingressa na AIC como tradutor, diretor de dublagem e dublador. Curiosamente, Hélio Porto nunca fora radioator, porém dublava os personagens sem necessitar do texto traduzido, apenas ouvindo os atores falando. É a ele que devemos as traduções de diversas séries clássicas da época: Os 3 Patetas, Perdidos no Espaço, A Feiticeira, Viagem ao Fundo do Mar, tiveram o seu direcionamento inicial.



**A 1ª VOZ DO CAPITÃO LEE CRANE**


Como dublador participou pouco, mas fez personagens inesquecíveis, como Larry de Os 3 Patetas, onde faz uma voz absolutamente adequada ao personagem (algumas vezes, por algum motivo foi substituído por Flávio Galvão, afinal foram 190 episódios dublados!). Em Viagem ao Fundo do Mar, além da tradução inicial, dublou o capitão Lee Crane na 1ª e 2ª temporadas, sendo substituído por Osmiro Campos nas temporadas seguintes.



**A VOZ GENIAL CRIADA PARA LARRY / OS 3 PATETAS**

Às vezes, fazia pontas em episódios de alguma série e ficou sendo o dublador "oficial" do ator James Stewart em diversos filmes. Aqui, é bom lembrar que ele apenas dublou os filmes que chegaram na AIC, porém ainda dublou o grande ator no estúdio BKS.

Em fins de 1967, quando sai da AIC, se transfere para o Rio de Janeiro, onde diversifica suas atuações, produzindo inclusive alguns filmes e dirigindo, ao lado de Amaury Costa o estúdio TV Cinesom. No início da década de 1980, volta a dublar um personagem fixo na série Esquadrão Classe A (Murdoch), porém por pouco tempo. Fez ainda diversas participações em outros estúdios de São Paulo. Consta, para nós, que a sua última atuação em dublagem teria sido no filme Festim Diabólico, onde mais uma vez, dublou James Stewart, em meados da década de 1980, pelo estúdio BKS.



**A VOZ PERFEITA PARA O ATOR JAMES STEWART**

Suas dublagens em filmes sempre foram primorosas:

*George Fortescu interpretado por Laurence Olivier em Rebecca - A Mulher Inesquecível.

*General Wombat interpretado por Robert Conrad em O Homem com a Lente Mortal.

*Comandante Pete Mattews interpretado por Kenneth Tobey em O Monstro do Mar Revolto

 *Wulfgar interpretado por Rutger Hauer em Falcões da Noite.

*Tony Camonte interpretado por Paul Muni em Scarface - A Vergonha de Uma Nação.

* Promotor Galloway interpretado por Carl Frank em A Dama de Shangai.

*James Stewart em Anatomia de Um Crime, Festim Diabólico, Flechas de Fogo, Janela Indiscreta, O Homem Que Sabia Demais, O Vale Heróico, Shenandoah, Um Corpo Que Cai e Winchester '73, entre outros.

 
Como curiosidade há o fato de ter sido ser primo do dublador Rebello Neto.


Hélio Porto também produziu e dirigiu alguns filmes durante a década de 1970, as chamadas "pornochanchadas".


Hélio Porto faleceu  aos 59 anos de idade, vítima de complicações cardíacas, no dia 25 de maio de 1999.



Leiam o que Borges de Barros declarou-nos sobre Hélio Porto:



"Eu tenho quase certeza que se não tivesse havido a mão do Hélio Porto em Perdidos no Espaço, a série teria perdido muita coisa. Era um extraordinário tradutor, não vejo atualmente, ninguém assim. Quando chegavam os filmes, os episódios das séries, ele sentava em frente à máquina de escrever, com um fone nos ouvidos, e assim que ouvia já datilografava para o português, porém pensando na sincronia de determinadas palavras para se dublar. Todas as minhas improvisações tiveram a sua autorização. Quando dublei o Moe, o texto dizia "seu cabeça de marmelo", isso foi o que o Hélio criou, porque não havia o correspondente para a nossa língua, mas aí na hora, mudei para "seu cabeça de pudim", achei que seria mais engraçado. No final daquele dia ele me disse: "esse cabeça de pudim fica perfeito para o Moe, será o jargão dele". Em Perdidos no Espaço houve a mesma coisa com "lata de sardinha" e aí fui alterando às vezes para "lata enferrujada", "lata velha", para não ser sempre a mesma, porque o Dr. Smith xingava o robô sempre. Todas as alterações foram autorizadas e dirigidas por ele no início dessas duas séries."


(Declaração de Borges de Barros dada a nós em 1989)

Infelizmente, poderíamos oferecer muito mais informações sobre Hélio Porto, porém está completamente esquecido pela mídia, esse grande profissional que impulsionou a AIC.


Aqui, postamos um episódio de Os 3 Patetas, onde Hélio Porto faz, genialmente, a voz de Larry:


**PARTE 1/
video


**PARTE 2/
video



** Neste vídeo abaixo, um trecho do filme Shenandoah, no qual Hélio Porto dubla o ator James Stewart,ao lado do dublador Carlos Campanile:
video



** Neste outro vídeo, sua inesquecível atuação como o Capitão Lee Crane da série Viagem ao Fundo do Mar (1ª e 2ª temporadas):
video




**MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS**

0 comentários:

Postar um comentário