4 de junho de 2009

DUBLADOR EM FOCO (54): LÍRIA MARÇAL


**LÍRIA MARÇAL NA DÉCADA DE 1960**

Líria Marçal foi uma das dubladoras mais atuantes da AIC, por outro lado, há anos tentamos localizar uma fotografia sua e , recentemente, foi nos enviada, através de um colaborador de nosso trabalho. Obtivemos, certa vez, a sua descrição física, que revela ter sido uma mulher muito bela: cabelos escuros, longos e olhos claros.


Nasceu em 6 de junho de 1935, na cidade de Lins/SP, e seu nome verdadeiro era Daisy Pulice. Não obtivemos informações ainda como surgiu o seu nome artístico.
Também consta de que já havia participado de algumas radionovelas, pois sua voz e interpretação são inesquecíveis.

Sua personagem mais conhecida é Jeannie, onde dublou as cinco temporadas da série. No início, a personagem é um pouco mais séria, mas a partir da 2ª temporada ela vai mais para a comédia e Líria Marçal foi perfeita para personagem.



Geralmente em filmes, ficava com as mulheres mais sedutoras, mais charmosas. Dona de uma voz "macia", conseguia dar o tom exato da personagem.


O interessante é que Líria Marçal também conseguia colocar a sua voz e interpretação até para senhoras. Na série Big Valley, ela substitui Gessy Fonseca na dublagem da atriz Barbara Stamwick (Vitória Barkley), a matriarca da família que vivia com seus filhos num rancho. Outra série de enorme sucesso no final da década de 1960.
 Dublou diversas atrizes convidadas em inúmeros filmes e séries de tv da época: A Feiticeira, Jornada nas Estrelas, O Túnel do Tempo, Terra de Gigantes, Lancer,etc.



**2ª VOZ DE BARBARA STAMWICK (VITÓRIA BARKLEY) NA SÉRIE BIG VALLEY**


Paralelamente, consiguimos descobrir a sua participação em três novelas:


**Em 1965/66 na novela "O Ébrio" na Tv Globo.

**Em 1968 na novela "Nunca é tarde demais" na Tv Bandeirantes.

**Em 1970 na novela "As asas são para voar" na Tv Bandeirantes.


Evidentemente, os tapes dessas novelas foram destruídos nos incêndios que a Tv Bandeirantes e Tv Globo sofreram.

Em 1973, voltou a dublar Jeannie na versão animada produzida por Hanna Barbera.

Depois da dublagem desse desenho não conseguimos obter nenhuma informação a seu respeito!
Faleceu no dia 8 de julho de 1996, segundo consta vítima de câncer, aos 61 anos de idade.

Líria Marçal foi uma excelente dubladora e atriz que caiu no imenso anonimato desse nosso Brasil. Porém, os fãs de Jeannie podem ouví-la, atualmente, em DVD. Uma obra para a eternidade!

**VAMOS REVER A DUBLAGEM DE LÍRIA MARÇAL**


**A VOZ INESQUECÍVEL DE JEANNIE**
video


**DUBLANDO SOPHIA LOREN NO FILME "ARABESQUE"**
video


**Na série Big Valley, a 2ª voz de Vitória Barckley**
video


**Marco Antônio dos Santos**

3 comentários:

Rodolfo disse...

Aprendi a admirar a Líria graças a "Jeanie é um gênio", um seriado que adoro!

barbaragraner disse...

Puxa...
Fico triste de ver como, no geral, há uma forte tendência ao esquecimento de bons trabalhos realizados pelos artistas brasileiros no que se refere`à dublagem. Claro que boa parte do que é feito hoje tem uma qualidade inegavelmente ruim, mas a verdadeira dublagem brasileira marcou história e é internacionalmente reconhecida pelos profissionais do entretenimento pelo mundo afora.
Líria Marçal, pra mim, é o exemplo perfeito dessa excelência. Não só pelo seu timbre de voz inconfundível, mas também pela forma como pronuncia as palavras: além da interpretação, uma dicção e um conhecimento da lingua portuguesa impecáveis. Em certa medida, tem um quê de nostalgia, da época em que falar português não era simplesmente despejar sons nos ouvidos dos outros, mas sobretudo reverenciar essa sofisticada lingua e se fazer entender claramente. Como uma aula melodiosa de lingua portuguesa através da televisão.
Jeannie é Um Gênio representa o trabalho de Líria Marçal mais notório, mas gostaria muito de registrar meu desapontamento em ver a maior parte de seus excelentes trabalhos desconsiderados sistematicamente, como sua incrível dublagem da personagem Melanie Daniels (Tippi Hedren) de "Os Pássaros". Pode parecer radical de minha parte, mas recuso-me a adquirir o DVD do filme porque, nesse nosso Brasil que ainda não aprendeu a valorizar sua produção cultural. O que me resta é passar pro DVD a gravação em videotape que possuo (mesmo considerando que a qualidade do DVD "alternativo" não fique lá essas coisas... e comemorar o fato de o DVD de King Kong (1933) vir com a bublagem original da AIC, com o qual se pode apreciar mais um pouco o trabalho de Líria Marçal. Bem, pra terminar, registro o fato de não ser adepta constante de postar comentários em blog's, mas meu carinho pela minha memória auditiva me impele a digitar esse comentário.
Parabéns a Líria Marçal (mesmo que in memorian) por seu magnífico trabalho.

Cotidianos e Sentimentos disse...

Minha vó era muitoooooooooo talentosa..... saudades imensas dela......

Postar um comentário