9 de dezembro de 2008

DUBLADOR EM FOCO (43): CARLOS ALBERTO VACCARI




Há poucas informações sobre o início da carreira de Carlos Alberto Vaccari antes de ingressar na AIC. Há dados de que participou da Força Aérea Brasileira e que teria realizado algumas locuções em rádio.
O fato é que Vaccari entrou para a AIC no ano de 1967 e, com sua voz forte e ótima interpretação, foi ganhando espaço na dublagem.

**Carlos Alberto Vaccari na F.A.B.**


De imediato, consegue o personagem Multi-Homem no desenho Os Impossíveis e diversas participações nas séries O Túnel do Tempo, Perdidos no Espaço, A Feiticeira,  Batman, Viagem ao Fundo do Mar, Jornada nas Estrelas, Jeannie é um Gênio, etc.


Surgem três novos personagens fixos: A voz do herói Batfino, desenho que fez grande sucesso na época, no qual Vaccari o dublou se valendo de um excelente falsete.


**A VOZ PERFEITA PARA BATFINO**


 A dublagem de Peter Graves, a partir da 2ª temporada da série Missão Impossível. Este personagem foi dublado por ele apenas na 2ª e 3ª temporadas da série.
Também foi a voz de Hoss, interpretado por Dan Blocker, nas duas temporadas de Bonanza dubladas pela AIC.


*Sr. Phelps (Peter Graves) de Missão Impossível (2ª e 3ª temporadas)**

Mas, o seu grande sucesso foi o personagem Mingo, companheiro de Daniel Boone. Uma dupla que fez uma legião de fãs pelo Brasil até hoje. No mesmo período, Vaccari dubla o personagem Murdoch, o patriarca, na série Lancer, interpretado por Andrew Duggan.

*Mingo, o índio companheiro de Daniel Boone*

Além das séries de tv e desenhos, Vaccari participou também de alguns filmes: fez o Tenente Tom Keefer interpretado por Fred MacMurray em A Nave da Revolta, a voz do Homem Invisível originalmente dublada por Vincent Price em Abbott e Costello As Voltas Com Fantasmas, Buckley interpretado por Jack Warden em A Um Passo da Eternidade, além do ator Anthony Quinn em As 7 Cidades de Ouro, Réquiem Por Um Lutador e Ulysses.

Mas foi como narrador das aberturas de séries de tv e de filmes que Carlos Alberto Vaccari inseriu , definitivamente, a sua marca registrada nas dublagens realizadas pela AIC.

*Murdoch Lancer (1ª voz)*

As narrações de aberturas foram iniciadas na AIC por Ibrahim Barchini, em 1964, mas por motivos pessoais decidiu abandonar a carreira artística e, no início de 1968, Vaccari fica definitivamente como o narrador oficial. Até hoje todos se recordam das aberturas tão empolgadas realizadas em diversas produções.
Assim, Vaccari narrava as aberturas, dublava alguns personagens e também já dirigia muitas dublagens.

Infelizmente, por volta de 1970, sofreu um grande desmaio, dentro da própria AIC, e foi diagnosticado um tumor benigno no cérebro. Após a cirurgia, Vaccari teve algumas sequelas, principalmente com a voz e também o fato de não conseguir acompanhar, com a mesma rapidez, a sincronia para realizar as dublagens.

Assim, durante esse período, em que ficou afastado, foi substituído por Francisco Borges (narrador oficial da série Batman), em diversas aberturas e por Antônio Cardoso, em alguns episódios, para a dublagem de Mingo.

Com o seu retorno, ficou estritamente apenas com as aberturas de séries de tv e filmes. Esta função continuou já no estúdio BKS por muitos anos e também, por algum tempo no extinto estúdio Com-Arte.
No estúdio BKS narrou dezenas de filmes, séries de tv e narrou muitos episódios do desenho Pica-Pau.



**Vaccari com o seu neto**

Em meados da década de 1990 se aposentou definitivamente da dublagem. Infelizmente, faleceu em 22 de novembro de 2008, por complicações do seu estado de saúde.


**VAMOS RELEMBRAR 3 MOMENTOS DE CARLOS ALBERTO VACCARI**


**VÍDEO 1/ A VOZ DE BURT REYNOLDS NA SÉRIE O FALCÃO**
video


**VÍDEO 2/ MINGO NA SÉRIE DANIEL BOONE**
video

**VÍDEO 3 / ABERTURA DA 3ª TEMPORADA DA SÉRIE BIG VALLEY**
video


A sua marca registrada foram as aberturas que realizou. Para nós, seus eternos fãs, sua voz está arquivada como herói ou vilão, mas sabemos sempre que quando assistirmos algo e ouvirmos Vaccari narrando a abertura significa: emoção, qualidade, boa dublagem que iremos ouvir.



Sua voz fala por si, não há palavras para expressarmos os nossos sentimentos, que serão de muita alegria ao ouví-lo.


Muito Obrigado Vaccari por ter feito parte da nossa infância e adolescência!




**Marco Antônio dos Santos**

5 comentários:

Jorge disse...

Estou profundamente emocionado escrevendo estas palavras.
Venho já há algum tempo, procurando alguma imagem do nosso grande e já tão saudoso Carlos Alberto Vaccari.
E finalmente encontrei aquí. Mas também a constatação e com tristeza do que eu tinha lido no site Retrô TV ou Mofolândia de que a única notícia que tinham sobre ele é de que ele estava doente.
Como foi dito aquí, e que compartilho plenamente ele fez parte de nossa infância. Sempre quando assistia e ainda assisto a algum seriado dos anos 60 e meados dos anos 70 a expectativa era de ouvir algum personagem, ou narração com a voz do Carlos Albero Vaccari. O Brasil foi um país privilegiado em ter tantos dubladores maravilhosos. Acho que os dubladores brasileiros, principalmente contemporâneos ao Vaccari foram ou são os MELHORES do mundo ! Se fosse nos Estados Unidos ganhariam Oscar. Mas eu diante de tantos dubladores maravilhos sempre tinha um especial fascínio pela voz do Vaccari. Todos tinham ou tem vozes abençoadas por Deus. Há uns doze ou 15 anos atrás estava eu na Lapa tomando um café com uns amigos num bar de esquina com as ruas Afonso Sardinha e Domingos Rodrigues, quando passou, andando pela calçada, um senhor distinto de terno. E um amigo meu chamou minha atenção dizendo: "Tá vendo a pessoa que passou aquí...", quando observei ele já estava de costas, "...ele é aquele dublador que fala "versão brasileira AIC São Paulo". E me contou uma estória de que ele foi dublador quase que por acaso (sic), parece que logo após um acidente quando prestava serviço às forças armadas (!?). Eu morei muitos anos na Lapa meu bairro/região de nascimento. E somente há alguns anos vim saber que era o bairro sede da AIC. Gostaria de ter podido cumprimentá-lo e louvá-lo por sua voz que marcou minha infância.
As vezes gostaria de ter sido alguém influente na mídia para poder resgatar todos esses dubladores maravilhos que ainda tivessem condições para dublar os filmes de hoje em dia.
Agora me/nos resta agradecer a Deus por nos ter dado tão valorosos e especiais seres humanos, artistas da dublagem, agradecer a Deus pelo Carlos Alberto Vaccari. E pedir a Deus aos anjos, aos seres divinos que leve até ele este agradecimento do fundo do coração.
Muito Obrigado Carlos Alberto Vaccari sua voz foi sua dádiva divina e um presente de Deus para nós.

Um especial agradecimento a voce Marco Antônio por ter criado este blog, uma singela homenagem a estes artistas das vozes. Alguns falam das vozes sem rostos, mas também vozes de vários rostos dos atores e seus personagens.

Elder disse...

Gostaria de cumprimentá-lo pelo excelente blog sobre a história da dublagem no Brasil. Tenho 52 anos hoje e venho assistindo filmes e séries no Brasil há bastante tempo.Gostaria de lembrar que a lei de direito autoral que protege produtores de obras musicais, teatrais e cinematográficas deveria também proteger os dubladores. Por que não dar a eles o mesmo tratamento que um cantor recebe ao recolher os direitos autorais dos mesmos? Afinal de contas quando dublaram em qualquer época que seja as vozes permaneceram na obra e isto é intocável; isto protegeria os direitos dos dubladores que aliás tem que ter registro na DRT para atuarem. Ao conceder o benefício eles estariam protegidos de futuras doenças que poderiam acamá-los inclusive do uso das vozes que requer um esforço grande. Vamos mais uma vez levantar esta bandeira pelos dubladores.
Desde já meus agradecimentos.
Elder
www.express-english.org
Belo Horizonte/MG

elisangela disse...

JOSE CARLOS DISSE NESTE DIA FIQUEI SABENDO QUE MINHA MARCA DE VIDA SE FOI,HOJE VI SUA FOTO,SEU NOME VACCARI,NA MINHA OPINIAO ERA A VOZ CENTRAL,NAQUELA EPOCA A TV TINHA O TRANSMISSOR,O NOSSO RECEPTOR E A MARCA,VACCARI...PERDIDOS NO ESPAÇO,LANCER ME LEMBRO ABERTURA E VOZ MURDOCK,BIG WALEY,TERRA DE GIGANTES E EU GOSTAVA DE IMITAR O FINAL BEM LENTO GRAVE E CALMO (VERSÃO BRASILEIRA A.I.C SÃO PAULO) JOSE CARLOS 50 ANOS

terere disse...

que saudade ,fico com um nó na garganta

Anônimo disse...

Carlos Alberto Vaccari o Gênio da Dublagem e Locução um timbre de voz Fantástico, fica uma Lembrança dele pra todos nós Brasileiro Pena que ele se foi.

Postar um comentário