1 de dezembro de 2008

DUBLADOR EM FOCO (42): JOSÉ PARISI




José Parisi nasceu em São Paulo, capital, em 1917, no bairro do Brás. Descendente de italianos, falavam todos um português italianado, com sotaque forte, pois os mais velhos preferiam só falar italiano. José Parisi estudou, trabalhou e descobriu sua vocação artística. Nisso foi influenciado pelo pai, que tinha amor por livros. Assim comprava-os e pedia ao filho que os lesse em voz alta para ele, e para uma pequena platéia familiar. Ele fez com que o menino fosse soltando a voz, aprimorando a dicção.


Além disso José Parisi acompanhava um tio do interior, quando vinha à capital, em passeios por teatros e cinemas. Assim, embora tivesse como profissão ser classificador de grãos, na Bolsa de Cereais, um dia apresentou-se para um teste com Maria Della Costa, grande estrela da época. E ganhou o papel para fazer: “Depois da Queda”, peça que fez muito sucesso. Entre o público, já na estréia, estava Dermival Costalima, diretor geral das Emissoras Associadas, que gostou do rapaz, de sua postura, pois ele era alto, elegante, como de sua voz.


Isso foi em 1946, e Parisi foi contratado para o rádio e anos depois, para a televisão, que chegava. Mas Parisi preferiu ficar no rádio , o que foi bem apreciado por Costalima, porém isso durou pouco. Sua figura, seu porte, o induziam a fazer televisão. E assim ele fez Grandes Teatros, Tvs de Vanguarda e inclusive participou da primeira novela da TV: “Sua Vida me Pertence”, de Walter Forster.Fez papeis maravilhosos, sempre se aprimorando mais.


**JOSÉ PARISI NA DÉCADA DE 1960**


Mas sua grande chance apareceu, quando Péricles Leal lançou o “Falcão Negro”, herói de capa e espada, que transformou o jovem Parisi no herói da garotada. Mas ele levava tão à sério as lutas e as cenas da televisão, que várias vezes, ele e os parceiros, terminaram suas noites no Hospital das Clínicas, onde tinham que ir, para os curativos finais. O “Falcão Negro “era um herói medieval, que defendia os pobres e oprimidos. E o ator não aceitava dublê para nada.
 Era tudo feito por ele mesmo. . Nem o próprio Parisi estava preparado para tanta fama. O seriado “Falcão Negro” ficou mais de 8 anos no ar. José Parisi como profissional tinha como sua principal característica a honestidade , a gratidão e o sentido de união com os colegas. Trabalhou em muitas peças teatrais e no filme: “O Sobrado”, que foi um enorme sucesso.

**JIM DAS SELVAS**

Devido a sua dicção perfeita e voz bem sonora esteve presente na AIC, dublando muitos personagens em filmes e séries de tv, mas até hoje ficou conhecido por ter sido a primeira voz de Jim das Selvas, seriado da década de 1940, que foi exibido pela TV Excelsior de São Paulo. Aliás, José Parisi dublou diversos seriados , que foram produzidos para o cinema, e exibidos por volta de 1967/68 durante as tardes para a garotada da época, como: O Homem Foguete, Império Submarino, Flash Gordon e tantos outros.
 Infelizmente, a dublagem do seriado Jim das Selvas já foi perdida, tendo restado algumas cópias dos filmes com colecionadores.

José Parisi faleceu em São Paulo em 1993.

**Neste vídeo temos a dublagem do personagem Jim das Selvas**
video



**Marco Antônio dos Santos**

1 comentários:

Cassio Queiros disse...

Mais uma aula, do Marco Antonio, de como fazer uma minibiografia. José Parisi foi um dos pioneiros na TV brasileira e apesar de seu trabalho de dublador ter sido, em sua maior parte, perdido ou esquecido (uma pena pois ele tinha uma bela voz), ele merece esta homenagem. E, ao incansável Marco Antonio, o meu muito obrigado por mais um post de primeira categoria.

Postar um comentário