21 de novembro de 2008

DUBLADOR EM FOCO (40): CÉSAR LEITÃO


Joaquim César Leitão nasceu em 12 de janeiro de 1929, em Cantanhede, Portugal. Com o início da 2ª Guerra Mundial, sua família imigrou para o Brasil e aqui chegou com apenas 10 anos de idade.
 Seu amor pelo Brasil foi tão grande que naturalizou-se brasileiro na década de 1960.


Desde cedo entregava marmitas para ajudar sua mãe, que era cozinheira de pensão.
Por volta de 16/17 anos dava aulas particulares para seus colegas e estudou em ótimos colégios, sempre com bolsas de estudo.


Sua paixão era o Rádio e logo conseguiu ser radialista nas Rádios São Paulo e Piratininga, onde ganhou o Troféu Roquete Pinto, em 1957, como o melhor contra-regras do Rádio daquele ano.
Além de contra-regras, fez de tudo no Rádio: foi locutor, humorista e radioator, o que deixou-lhe em destaque em muitas edições da revista Radiolar, inclusive registrando o nascimento de seus dois filhos: Eduardo César (já falecido) e Alexandre César.


 Esteve, por um breve período, na cidade de Ribeirão Preto, como diretor da PRAZ, mas a saúde de seu filho mais velho, Eduardo, fez com que retornasse para São Paulo.
Também foi publicitário na Multi-Propagandas.


Ingressou na distribuidora CBS Filmes do Brasil, onde trabalhou durante 30 anos.



**A dublagem excelente de Joe em Os 3 Patetas**


Em 1965 ingressa na AIC.
 César Leitão foi convidado para dublar o personagem Joe, um gordinho atrapalhado na série Os 3 Patetas, escolhido para substituir Shemp que falecera. Com características bem definidas que o próprio dublador criou  para o personagem, fez um excelente trabalho. Infelizmente, foram produzidos apenas cerca de 15 episódios, em virtude da audiência cair nos Estados Unidos.


Mesmo tendo dublado por pouco tempo o personagem Joe, César Leitão se apaixonou pela dublagem e aí conciliava o seu trabalho na CBS Filmes com dublagens esporádicas na AIC.
Como havia sido humorista, muitas vezes era escalado para as comédias e pastelões em filmes e episódios, principalmente de O Gordo e o Magro.

Com o início da crise na AIC se afastou da dublagem em 1969, mas posteriormente faria pequenas participações na Álamo, principalmente, desenhos.


Na década de 1980, retornou com muito frequência à dublagem e não parou mais até o final da década de 90. Participou dos estúdios Álamo, Mashemellow, Gota Mágica e, segundo seu filho nos informou, "poucos foram os estúdios onde não tenha efetuado uma dublagem."

Além de ter se formado em Direito, em 1983, e atuando um pouco na área jurídica, se dedicava às dublagens quando surgiam e também na CBS Filmes do Brasil. Já na década de 1990, também participou de comerciais para a televisão.



César Leitão não chegou a dublar personagens de grandes destaques, mas a sua versatilidade permitia que fizesse dublagens em diversos filmes, séries de tv e desenhos. Foi muito atuante nas dublagens de diversas produções japonesas das décadas de 80 e 90, mesmo até dublando figurantes.


César Leitão faleceu no dia 11 de agosto de 2000, aos 71 anos de idade, vítima de um enfarto fulminante em sua própria casa, em São Paulo, onde residia desde 1949.


AGRADECIMENTO> Estas informações nos foram fornecidas por seu filho Alexandre César, o qual chegou a acompanhá-lo em diversas dublagens nos estúdios da AIC, ainda garoto.



**Os fãs de seu pai agradecem**




**Alguns trabalhos realizados**




*Tio Ted em O Fantástico Mundo de Bobby.

*Robert Duvall em O Apóstolo.

*Edgar Vivar (Seu Barriga, Nhonho...) em Clube do Chaves.

*Patriarca do Planeta Namekusei em Dragon Ball Z.

*Segunda voz do Vovô Lou em Os Anjinhos.


**VAMOS REVER 2 EPISÓDIOS COM A DUBLAGEM DE CÉSAR LEITÃO


**EPISÓDIO 1**
video

**EPISÓDIO 2**
video


**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário