21 de outubro de 2008

DUBLADOR EM FOCO (24): MÁRCIA REAL



Márcia Real, em verdade se chama Eunice Alves. Nascida em São Paulo, às margens plácidas, ou seja, no bairro do Ipiranga, em 06 de janeiro de 1931, Márcia tem uma irmã, Regina, e sempre foi muito apegada à mãe, mas foi o pai, que era “ponto” em uma companhia amadora de teatro, que levava a menina a ver espetáculos. E ela ficava fascinada.


E um dia, já grandinha, já adolescente, cruzou na rua com Bibi Ferreira, a grande atriz. Estava ali traçado o seu destino. No mesmo momento, após ligeira conversa, ganhou um papel na peça “Minhas queridas esposas”.


Antes disso já tinha tido uma experiência na rádio Tupi com o famoso radialista e diretor, Otavio Gabus Mendes. Com o teatro foi logo viajar, para isso enfrentando toda a família. E assim começou em televisão, onde ganhou imediatamente um papel, já que tinha tudo para isso, inclusive a voz, que é forte e marcante. E foi graças ao tipo físico e à voz que fez muitos “TVs de Vanguarda” e “TVs Comédia”. Fez papéis como: Lady Macbetti, Ana Karenina, e inúmeros outros, na TV Tupi de São Paulo.



Depois passou para a TV Excelsior, onde ganhou papéis importantes em muitas novelas, tendo participado com grande relevância em “Redenção”, a mais longa novela que já esteve no ar. Sua inteligência e dom natural para falar, fizeram dela uma grande apresentadora de televisão. Salientou-se no “Clube dos Artistas”, ao lado de Airton Rodrigues, no qual ficou por 10 anos,recebendo e entrevistando os convidados. Ganhou vários prêmios como atriz. Entre eles três Roquete Pinto, o principal prêmio de televisão da época.



** MÁRCIA REAL NA DÉCADA DE 1960**

Participou de vários filmes, mas gosta de salientar o filme “O Sobrado” com texto de Walter George Durst e direção de Cassiano Gabus Mendes. Continuou, porém, constantemente em teatro, com aparições brilhantes, dentre elas como: Marlene Dietrich, na peça “Piaf”, ao lado de Bibi Ferreira, onde realmente ficou exatamente igual à famosa atriz de cinema, a ponto do público se levantar e a aplaudir de pé.


Devido à sua voz forte e marcante, Márcia Real participa da AIC, logo no início, assim faz diversas dublagens para filmes e séries de tv, como Rota 66, Cidade Nua, Império do Oeste e na 1ª temporada de Viagem ao Fundo do Mar. Geralmente escalada para dublar damas da sociedade ou mulheres sofredoras. Participou de alguns desenhos também como Os Jetsons e Os Flintstones, onde dublou algumas vezes a sogra de Fred Flintstone.




Com a estreia da série A Feiticeira, Márcia Real ganha um personagem fixo: Endora, durante toda a 1ª temporada da série. Entretanto, com o crescimento da produção de novelas, acaba se desligando da dublagem em fins de 1965.


** 1ª VOZ DE ENDORA NA SÉRIE A FEITICEIRA**


** Para relembrarmos a dublagem de Márcia Real **


**Vídeo 1: Dublando o personagem Endora ao lado Nícia Soares**



**Vídeo 2: Dublando uma bruxa no desenho Joca e Dingue-Lingue**



**Vídeo 3: Dublando uma atriz convidada na série Cidade Nua ao lado de Neuza Maria e Henrique Martins**




Uma grande atriz que integrou o elenco da AIC, a qual a mídia esqueceu!


**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário