27 de setembro de 2008

NARRADORES DE ABERTURAS DA AIC



Uma das grandes lembranças de todos que assistiam às dublagens da AIC, era ouvir sempre o seu narrador mencionando o nome do filme ou série de tv, os nomes dos artistas e depois : "versão brasileira AIC: São Paulo".

O curioso é que nas primeiras dublagens, ainda na Gravasom, não havia essa preocupação. Assim, algumas séries como Papai Sabe Tudo e Além da Imaginação não apresentam narrador e nem se menciona o nome do estúdio.

Já como AIC São Paulo, no início, os desenhos e séries também não possuem um narrador de abertura e o nome da AIC não é mencionado. Basta olharmos Os Jetsons, Manda-Chuva, Rota 66 e tantos outros do mesmo período.

Em fins de 1963, a AIC, percebeu que havia outros estúdios de dublagem, principalmente no Rio de Janeiro, que já possuíam um narrador e mencionava o nome do estúdio de dublagem: CineCastro, TV Cinesom.
 Assim a Direção Artística também quis colocar essa "marca registrada", a qual persiste até hoje para todos os estúdios.

Segundo informações, Ibrahim Barchini ingressa na AIC em 1964, e uma das primeiras séries a ganhar o narrador foi Os 3 Patetas, onde  dizia: "Versão Brasileira da Arte Industrial Cinematográfica São Paulo" e , assim, foi até ser reduzido para apenas AIC/SP, a partir de 1966.
Ibrahim Barchini foi oficialmente o primeiro narrador da AIC, tendo marcado muito séries como Os Defensores, Big Valley, A Feiticeira, Viagem ao Fundo do Mar, Perdidos no Espaço, O Túnel do Tempo e muitas outras.

Algumas vezes, Barchini foi substituído por Oswaldo Calfat nas aberturas, o qual tinha uma voz bem adequada para narrar documentários.

Para a série clássica Jornada nas Estrelas, Emerson Camargo preferiu convidar o locutor da rádio Excelsior Antônio Celso que fez a abertura da série. Aliás, Antônio Celso também acabou surgindo em alguns episódios de outras séries como Missão Impossível, Coelho Ricochete, e nos episódios finais de O Túnel do Tempo e da 2ª temporada de Perdidos no Espaço.


Dessa forma, assume oficialmente com a saída de Ibrahim Barchini do estúdio em fins de 1967, Carlos Alberto Vaccari, talvez o mais marcante para todos que se lembram das aberturas da AIC, pois sempre carregava muito na emoção, no tom da voz: foram inúmeros trabalhos.


Paralelamente, Francisco Borges também participou.

 Fez a narração e abertura de Batman e substituiu muitas vezes Carlos Alberto Vaccari em Daniel Boone, na 2ª temporada de Terra de Gigantes, A Feiticeira, Lancer, Jeannie é um Gênio, etc, em virtude de um pequeno afastamento deste.




 Além dos citados, eventualmente, surgia Flávio Galvão, Dênis Carvalho ou  Hélio Porto em Os 3 Patetas e até Emerson Camargo em Perdidos no Espaço e O Túnel do Tempo.


 Já a série Chaparral teve Carlos Campanile como sendo o seu narrador de abertura.




Com a crise econômica evoluindo a partir do início da década de 1970, na AIC, praticamente Francisco Borges se torna o narrador oficial de desenhos e séries de tv, tais como: Goober e os Caçadores de Fantasmas, João Grandão, O Homem Invisível, A Família Robinson, e muitas outras produções.





**O HOMEM INVISÍVEL**


Seja como for, foi a necessidade de registrar o nome do estúdio de dublagem que fez com que tivéssemos esses narradores de aberturas oficiais e, é lógico, cada um terá uma voz mais marcante na sua memória.

** VEJAMOS ALGUMAS ABERTURAS DA AIC:


** ABERTURA DA 1ª TEMPORADA DA SÉRIE BIG VALLEY: NARRADA POR IBRAHIM BARCHINI.
video

** ABERTURA DA SÉRIE JORNADA NAS ESTRELAS: NARRADA POR ANTONIO CELSO.
video


** ABERTURA DA 3ª TEMPORADA DA SÉRIE PERDIDOS NO ESPAÇO: NARRADA POR CARLOS ALBERTO VACCARI.
video



**ABERTURA DA SÉRIE VIAGEM AO FUNDO DO MAR: NARRADA POR CARLOS CAMPANILE.
video


**ABERTURA DA SÉRIE A FAMÍLIA DÓ-RÉ-MI: NARRADA POR FRANCISCO BORGES.
video

 **Marco Antônio dos Santos**

1 comentários:

CAZARRE disse...

Obrigado Marcos pela lembrança deste que foi para mim o maior estudio de dublagem, meu pai sempre dizia que "DUBLAGEM É ARTEZANATO" o que é verdade!!, tem que ser feito com carinho, quando era criança meu pai me levava para ver os filmes lá dublados e puder ver antes que todos a estréia de CHAPARRAL E TERRA DE GIGANTES , antes de passar na tv, bons tempos aqueles!! sem BALAS PERDIDAS para nos tirarem entes queridos da nossa companhia!! Grande abraço a todos!! Saudades de tempos que não voltam mais!!! CAZARRÉ FILHO.

Postar um comentário