15 de setembro de 2008

ENTREVISTA COM CARLOS CAMPANILE



1 - Como você chegou aos estúdios da AIC ?

R: Após meu aprendizado de dublagem na IBRASOM, fui convidado pelo José Soares (que foi o culpado de eu estar dublando até hoje, pois foi quem no teste realizado na Ibrasom
disse que "eu levava jeito pra coisa") para ir
tentar a sorte na AIC. Eu fui e tive a sorte de conhecer pessoas maravilhosas que me ensinaram, incentivaram, enfim...colaboraram para a continuidade da minha carreira.

2 - O que representou, na sua carreira, dublar o Dr. Tony Newman de O Túnel do Tempo ?

R: O Tony Newman foi o primeiro protagonista de série que eu ganhei em teste, com a colaboração inestimável do Hélio Porto. Foi, sem dúvida, a alavanca para todo o trabalho que realizo até hoje com dedicação e enorme prazer.


3 - Há algo de curioso que você se lembre durante as gravações dessa série ?

R: O diretor de dublagem do Túnel era o Sr. Wolner Camargo, a quem eu respeitava profundamente pelo profissional que ele era.
Nos primeiros episódios da série, cada vez que ele dizia o número do "anel" e eu ia para a estante, as pernas ficavam bambas e eu tremia que nem vara verde. Nem sei como eu conseguia pronunciar as palavras e me concentrar para o trabalho.

4 - Você também dublou o engenheiro Scott de Jornada nas Estrelas, como você se sente sobre a perda dessa dublagem ?

R: É lamentável sob todos os aspectos a perda da dublagem "original" de Jornada nas Estrelas, pois foi feita com muito carinho e dedicação, foram procurados e pesquisados termos que não existiam na época e que nas dublagens posteriores foram trocados; e por melhores que sejam os atores que participaram dessas novas dublagens, parece que não tem o mesmo sabor, o mesmo valor, da dublagem daquela época.


5 - Borges de Barros, certa vez confessou que "nunca houve um estúdio de dublagem com tanto talento de vozes como a AIC." Qual a sua opinião ?

R: Eu só posso concordar em gênero, número e grau com o nosso querido e saudoso "caro colega". Os atores e atrizes que passaram pela AIC eram de altíssimo nível, sem nenhum demérito aos colegas de outros estúdios que prestaram e prestam relevante serviços à dublagem.

6 - Do que você sente mais saudades do período da AIC ?

R: Sem dúvida nenhuma dos colegas que já se foram. É uma saudade imensa; dá pra dizer sem medo de errar, que alguns deles eram insubstituíveis, fazem muita falta.

7 - Hoje, a tecnologia fez com que o dublador possa estar sozinho. Na sua opinião, quais são os pontos positivos e os negativos ?

R: Acho que o único ponto positivo é que a dublagem se tornou mais rápida e ao dizer isso, na minha opinião todos os demais pontos são negativos.

8 - Além de Tony Newman e Scott, qual outro personagem ou ator que você tenha gostado de dublar. Por quê ?

R: É difícil responder a esta pergunta, porque são vários papeis e atores que eu gostei de dublar, mas alguns trabalhos gostei de ter realizado por serem ótimos filmes: "Em algum lugar do passado", "Papillon" (primeira versão dublada, SBT/1984), e o Salieri no filme "Amadeus". Além desses, acho que minha vóz no Alain Delon e no Clint Eastwood se encaixa bem.

9 - Defina o teu conceito da arte de dublar.

R: A dublagem para mim, é nada mais nada menos do que procurar fazer o que o ator original fez ao desempenhar o papel: tonalidade, interpretação, volume de voz, sem a menor pretenção de "melhorar" o personagem. E procurar adaptar as palavras,
para acompanhar o mais aproximadamente possível, o movimento labial do original.
Parece simples, não é?

10- Deixe uma mensagem aos teus inúmeros fãs, que até hoje te ouvem no Túnel do Tempo.

R: Aos fãs eu só tenho que agradecer o carinho e a atenção que tem me dedicado durante todos esses anos. E é por eles e para eles que continuo me empenhando em fazer o meu melhor, até quando Deus quiser.
Minha gratidão e meu respeito a todos eles.
Um forte abraço e um beijo no coração de cada um.

Obrigado Marco, por me proporcionar mais esta alegria!


***Agradecemos ao Carlos Campanile por este pequeno depoimento, porém de imenso valor para todos os seus fãs e também da AIC.
Muito Obrigado ! Campa!***


**Tony Newman, seu primeiro personagem fixo numa série de tv**





**Aqui, um grande momento da dublagem de Carlos Campanile, dublando o engenheiro Scott**

**Neste vídeo, temos Carlos Campanile narrando a abertura de Chaparral e dublando o ator convidado**



**Marco Antônio dos Santos**

0 comentários:

Postar um comentário