4 de dezembro de 2018

A DUBLAGEM DO FILME "HAMLET"






**O ENREDO**


O príncipe Hamlet, filho do rei da Dinamarca, sente-se deprimido quando perde o pai.  Seu tio, Claudius, casa-se logo a seguir com sua mãe, a rainha Gertrude, e se torna o novo rei.

Pouco tempo depois, Hamlet se depara com o fantasma do pai, que lhe revela ter sido assassinado por Claudius e lhe pede vingança.  Atormentado com tanta tristeza, é ainda alvo de membros da família que tentam convencê-lo de que está ficando louco.


Paralelamente, ele se sente apaixonado pela jovem Ophelia, filha de Polonius, conselheiro de Claudius e Gertrude, e irmã mais nova de seu grande amigo, Laertes.  Ao tomar conhecimento do romance, Polonius tenta intrigá-lo com o fim de fazer com que o príncipe deixe de fazer a côrte à sua filha.



Quando Hamlet procura a mãe para falar de suas suspeitas, segundo as quais Claudius teria assassinado seu pai, ele termina matando acidentalmente Polonius, que a tudo escutava às escondidas.  A infeliz morte do conselheiro de Claudius dá a este o pretexto para afastá-lo do reino.  Hamlet é, então, enviado para a Inglaterra.  Ao mesmo tempo, Laertes regressa do exterior, onde estudava, quando toma conhecimento da morte do pai e da doença da irmã que, não suportando o fato de seu pai ter sido morto pelo seu grande amor, vive mergulhada numa profunda tristeza e sofrendo de desmaios.


Ao retornar à Dinamarca, Hamlet se depara com o funeral de Ophelia.  Aproveitando-se da situação, o rei Claudius convence Laertes a convidar Hamlet para uma exibição, onde os dois lutariam com espadas.  Por orientação do rei, Laertes prepara sua espada com veneno em sua extremidade.



No dia combinado, com a Corte reunida, inicia-se a luta.  Após alguns passos, Laertes fere Hamlet no ombro com sua espada envenenada.  Enraivecido, este consegue igualmente ferir seu oponente com a mesma espada.  Nesse instante, a rainha Gertrude grita que fora envenenada.  Ela tinha inadvertidamente bebido um vinho com veneno, preparado por Claudius para Hamlet, caso este saísse com vida da luta. 


Embora ferido, Hamlet, suspeitando de traição, ordena que todas as portas sejam fechadas.  Laertes, então, diz ser ele o traidor e que Hamlet não tem mais que meia hora de vida, já que não há nenhum tipo de medicamento que possa curá-lo.  Em seguida, pedindo perdão a Hamlet, morre, com suas últimas palavras acusando o rei Claudius de ser o responsável por toda essa tragédia.  Hamlet, então, vira-se para o tio e crava a espada envenenada no coração do rei, cumprindo, assim, a promessa de vingança feita ao pai.  A seguir, chama seu amigo Horatio, que assistira a tudo, e lhe pede que conte sua história para todo o mundo.


**O FILME DE 1948**

"Hamlet", de Laurence Olivier, é um excelente filme, considerado por muitos críticos como a melhor adaptação da clássica peça de Shakespeare e a grande referência pela qual as futuras versões serão julgadas.

Para muitos, Olivier é considerado o maior ator de todos os tempos, e esse conceito é fortemente baseado em sua atuação em "Hamlet".  A bela Jean Simmons, na época com apenas 19 anos, faz a maravilhosa Ophelia, sendo premiada no Festival de Veneza e recebendo uma indicação ao Oscar.



Além de atuar e de escrever o roteiro, Olivier dirige o filme com um estilo extremamente refinado.  Merecem ainda destaques a ótima música de William Walton, a brilhante fotografia de Desmond Dickinson e o maravilhoso Design de Produção.

PRÊMIOS

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA
Oscar de Melhor Filme
Oscar de Melhor Ator (Laurence Olivier)
Oscar de Melhor Figurino em Branco e Preto (Roger K. Furse)
Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Roger K. Furse, Carmen Dillon )
Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra
Prêmio de Melhor Filme
Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca
Bodil de Melhor Filme Europeu (Laurence Olivier)
Prêmios Globo de Ouro, EUA
Prêmio de Melhor Filme - Drama
Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Laurence Olivier)
Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA
Prêmio de Melhor Ator (Laurence Olivier)
Prêmios Bambi, Alemanha
Prêmio Bambi de Melhor Atriz Internacional (Jean Simmons)
Círculo dos Roteiristas de Cinema, Espanha
Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro
Festival Internacional de Veneza, Itália
Grande Prêmio Internacional (Laurence Olivier)
Prêmio Internacional de Melhor Atriz (Jean Simmons)
Prêmio Internacional de Melhor Fotografia (Desmond Dickinson)





**A DUBLAGEM DA AIC**


A dublagem do filme Hamlet é, sem dúvida, mais uma verdadeira obra-prima realizada pela AIC.
 O filme possui diálogos baseados quase literalmente na obra de Shakspeare, uma tradução para o português poderia ocorrer em dois equívocos: o primeiro poderia deixar a linguagem do autor totalmente esquecida, traduzindo-o para o português coloquial e, o segundo, seria deixá-la com um tom tão britânico que nos soaria falso e até muito enfadonho.

Sendo assim, houve todo um cuidado em que a tradução tivesse um equilíbrio entre a linguagem shaksperiana e a língua portuguesa, evidentemente, observando a norma culta. Atualmente, nenhuma emissora aceitaria essa tradução equilibrada e optaria para a língua portuguesa do dia a dia, algo que descaracterizaria o texto do filme Hamlet.


Em nosso banco de dados sobre dublagen da AIC, são escassas as informações sobre filmes, uma vez que séries de TV e desenhos sempre levavam mais tempo em temporadas, tendo um elenco de vozes fixo e, portanto, maiores informações. Entretanto, quando conversei com o saudoso Zezinho Cútulo, descobri que a atriz Rita Cleós também foi diretora de dublagem em algumas circunstâncias e já era conhecida a sua competência em línguas, já que dominava perfeitamente 5 línguas (inglês, francês, italiano, alemão e espanhol), visto que entrou na AIC como tradutora em 1963.


Rita Cleós teve uma larga experiência no Teatro, na década de 1950, e chegou a participar de peças de Shaskpeare. Nossos dados sobre o filme Hamlet, apenas indicavam que a sua dublagem foi realizada em 1968 e que ficou a cargo de Sérgio Galvão a direção de dublagem.


Em nossa conversa com Zezinho Cútulo, em 2011, muito amigo de Rita Cleós, ele citou o trabalho brilhante que ela fez na tradução do filme Hamlet, entretanto, o filme estava totalmente desaparecido há cerca de 50 anos e, somente há alguns meses, através do site "Tela de Cinema" ressurgiu com a perfeita dublagem da AIC, com apenas dois pequenos trechos com o áudio original.



Sérgio Galvão, que também era um ator com experiência em Teatro, fez a escolha adequada para a tradução de Hamlet a critério de Rita Cleós, deixando a sua linguagem mais palatável (aqui, pensando em termos de nossa TV para o ano de 1968, evidentemente).

Aliás, o próprio Sérgio Galvão (também conhecedor da interpretação de um texto de Shakspeare), escolheu Waldyr Guedes para dublar Laurence Olivier num dos personagens mais complexos. O que assistimos, na realidade, é mais um extraordinário trabalho de Waldyr Guedes, o qual imprimiu toda uma interpretação adequada aos diversos dilemas que o personagem sofre.

Uma dublagem primorosa, a voz do ator para a versão brasileira é insubstituível. Somente a competência de Waldyr Guedes (talvez o mais versátil dublador da década de 60), conseguiria fazê-lo com tanta qualidade.


**Waldyr Guedes realizou uma dublagem magistral**

Os demais dubladores escalados também são de uma qualidade ímpar, como: Dráusio de Oliveira, Osmano Cardoso, Aldo César, Judy Teixeira, Hugo de Aquino Júnior, Eleu Salvador, Arquimedes Pires e também Rita Cleós. O próprio Sérgio Galvão participa da dublagem, porém escolheu um pequeno personagem, mas decisivo no enredo e de forma brilhante.

Até para pequenas paticipações, há dubladores com uma interpretação gigantesca, o que aquilata ainda mais a dublagem do filme.



**ELENCO / PERSONAGENS / DUBLADORES**

Laurence OlivierHamlet - (Waldyr Guedes).
Jean SimmonsOphelia, filha de Polonius (Rita Cleós).

Felix AylmerPolonius, Lord Chamberlain (Osmano Cardoso).

Basil SydneyClaudius, o rei (Aldo César).

Terence MorganLaertes, filho de Polonius (Sérgio Galvão).

Peter CushingOsric - (Eleu Salvador).

Niall MacGinnisCapitão de Mar - (Osmiro Campos).

Stanley Holloway



Coveiro (Mário Jorge Montini).


John GielgudVoz do Fantasma (Turíbio Ruiz).

Esmond KnightBernardo - (Arquimedes Pires).

John LaurieFrancisco - (Antônio Cardoso).

Anthony QuayleMarcellus - (Hugo de Aquino Júnior).

Eileen HerlieGertrude, a rainha (Judy Teixeira).

Norman WollandHorácio, amigo de Hamlet (Dráusio de Oliveira).

Russell Thorndike
Padre - (José Soares).


*Há ainda as pequenas participações de Xandó Batista e Sílvio Matos.


*Não há a narração de abertura.



**VAMOS REVER A DUBLAGEM DA AIC EM 3 PARTES**








**PARTE 1 **



**PARTE 2**



**PARTE 3**



**Fonte de pesquisa: "Site 70 anos de cinema"
"Acervo Pessoal"


**Marco Antônio dos Santos**